Follow Delta News Hub on Twitter Follow Delta News Hub on Facebook Google+ Follow Delta News Hub on LinkedIn Email Delta News Hub

A Delta Air Lines anunciou hoje os resultados financeiros do trimestre encerrado em setembro de 2017. Os destaques, incluindo métricas GAAP e ajustadas, são apresentados abaixo e foram incorporados neste comunicado.

O lucro bruto ajustado do terceiro trimestre de 2017 foi de US$ 1,7 bilhão, uma redução de US$ 182 milhões em relação ao mesmo período em 2016. O lucro bruto ajustado inclui uma redução de US$ 120 milhões devido à interrupção nas operações após o furacão Irma, que atingiu o Caribe, a Flórida, a Geórgia e, especificamente, o hub da Delta em Atlanta.

“Apesar dos vários desafios que enfrentamos neste trimestre, incluindo furacões e um terremoto no México, estou orgulhoso de como os funcionários da Delta responderam e ainda apresentaram um desemprenho excepcional neste trimestre”, disse Ed Bastian, CEO da Delta. “Após completar a temporada de viagens de verão mais movimentada da nossa história, temos um bom ritmo, uma equipe determinada e uma base sólida de iniciativas para aumentar nossos ganhos e margens”.

Para atender aos clientes e funcionários nas regiões afetadas, a Delta realizou nove voos de ajuda humanitária, ofereceu mais de 12 mil assentos adicionais para as cidades afetadas e enviou mais de 270 mil quilos em materiais de socorro. Além disso, a Delta e a Delta Air Lines Foundation arrecadaram US$ 2,75 milhões em contribuições para as organizações da Cruz Vermelha, e os funcionários da Delta contribuíram com US$ 250 mil para a Cruz Vermelha Americana e outros US$ 250 mil para o Delta Care Fund, que apoia diretamente os colegas de trabalho.

Ambiente de receitas

A receita operacional da Delta de US$ 11,1 bilhões no terceiro trimestre de 2017 aumentou 5,5%, ou US$ 577 milhões, em relação ao ano anterior, apesar da redução de US$ 140 milhões devido ao furacão Irma.

A receita de passageiros aumentou US$ 328 milhões, incluindo US$ 160 milhões das iniciativas Branded Fares da Delta. As receitas unitárias de passageiros aumentaram 1,9%, com aumento de capacidade de 1,6%.

A receita de carga aumentou 11,5% devido ao aumento nos volumes de frete e correio. Outras receitas aumentaram 18,4%, principalmente devido à maior receita de fidelidade e venda de refinaria de terceiros.

“Três das quatro entidades apresentaram receita unitária positiva e vemos oportunidades contínuas nos rendimentos desses negócios. Esperamos um aumento de 2% a 4% nas receitas unitárias do quarto trimestre, com todas as entidades apresentando números positivos até o final do ano”, disse Glen Hauenstein, presidente da Delta. “Nossa plataforma comercial que fornece eficiência de rede, impulsiona inovações aos clientes e aprimoramento das opções ao cliente deve permitir uma receita unitária positiva constante e manter nossa receita líder na indústria”.

 

 

 

 

Aumento (Redução)

 

 

 

 

3T17 versus 3T16

 

 

 

 

Variação

Receita

 

 

Receita de Passageiros

3T17 ($M)

 

AaA

Unitária

Rendimento

Capacidade

 

Linha Principal

4.897

 

6,1%

1,6%

0,1%

4,5%

 

Regional

1.475

 

1,3%

3,3%

2,5%

(1,9)%

Total Doméstico

6.372

 

5,0%

1,5%

0,0%

3,4%

 

Atlântico

1.727

 

3,4%

2,4%

(2,2)%

0,9%

 

Pacífico

680

 

(10,3)%

(3,1)%

(0,8)%

(7,5)%

 

América Latina

620

 

8,6%

5,9%

4,4%

2,6%

Total Passageiros

9.399

 

3,6%

1,9%

0,2%

1,6%

Receitas de Carga

187

 

11,5%

 

 

 

Outras Receitas

1.474

 

18,4%

 

 

 

Total Receitas

11.060

 

5,5%

2,7%

 

 

Veja na Nota A reconciliação das mudanças nas receitas unitárias (TRASM).

Orientações para o quarto trimestre de 2017

Para o quarto trimestre de 2017, a Delta espera uma pressão contínua nas margens, pois o ritmo das receitas unitárias acompanhará o aumento nos preços de combustível, que teve início em julho.

 

 

 

 

 

Previsão 4T17

Margem operacional*

 

11% - 13%

Preço do combustível, incluindo impostos e impacto da refinaria

 

US$ 1,82 – 1,87

Comparação com 4T16

 

 

Receita unitária de passageiros

 

Aumento de 2% - 4%

CASM - Ex incluindo participação nos lucros

 

 

Conforme relatório2

 

Redução de 1% - igual

Normalizada3

 

Aumento de 4% - 5%

Capacidade do sistema

 

Aumento aprox. de 2%

 

 

 

Veja na Nota A as informações sobre reconciliação da projeção de medições financeiras não GAAP.

Desempenho de Custos

A despesa ajustada de combustível aumentou US$ 230 milhões quando comparada ao mesmo período de 2016, devido ao aumento dos preços de mercado durante o trimestre. O preço ajustado do galão de combustível da Delta neste terceiro trimestre de 2017 foi de US$ 1,68, que inclui US$ 0,03 de benefício da refinaria.

O valor de CASM-Ex, incluindo a participação nos lucros, teve um aumento de 4,8% no terceiro trimestre de 2017 em relação ao mesmo período do ano anterior, devido aos voos cancelados devido ao furacão Irma. O valor de CASM-Ex normalizado, incluindo a participação nos lucros, aumentou 2,6% em relação ao ano anterior, devido ao aumento nos salários dos funcionários, investimentos em produtos e depreciação acelerada associada às iniciativas de frotas de aeronaves de fuselagem estreita.

As despesas não operacionais tiveram uma redução de US$ 35 milhões no trimestre devido à situação favorável do câmbio.

“Para o ano inteiro, esperamos que os custos unitários não relacionados a combustível aumentem cerca de 4%, pois a harmonização dos planos de participação nos lucros, a depreciação acelerada das aeronaves de fuselagem estreita e os cancelamentos relacionados ao furacão aumentaram um ponto nos custos em relação ao ano passado”, disse Paul Jacobson, diretor financeiro da Delta. “Porém, com a produtividade das nossas iniciativas nas áreas de frota, manutenção e tecnologia, além da determinação da equipe da Delta, estamos confiantes que podemos atingir nossa meta de custo de longo prazo de 2% a partir de 2018”.

Fluxo de caixa, retornos a acionistas e dívida líquida ajustada

A Delta gerou US$ 1,6 bilhão em fluxo de caixa operacional e US$ 471 milhões de fluxo de caixa livre no trimestre. A empresa aproveitou essa geração de caixa para investir cerca de US$ 1 bilhão na aquisição e melhoria de aeronaves, mudanças nas instalações e aprimoramentos tecnológicos, além de US$ 175 milhões para finalizar sua participação de 49% na Aeroméxico.

A dívida líquida ajustada no fim do trimestre foi de US$ 8,8 bilhões, um acréscimo de US$ 2,7 bilhões em relação ao fim do ano, resultado da emissão de dívida não garantida da Delta, realizada no primeiro trimestre de 2017, que foi utilizada para acelerar os fundos de pensão. A responsabilidade de pensão não capitalizada diminuiu US$ 3,8 bilhões – de US$ 10,6 bilhões no fim do quarto trimestre de 2016 para US$ 6,8 bilhões no fim do terceiro trimestre de 2017.

No terceiro trimestre de 2017, a Delta retornou US$ 769 milhões aos acionistas, que correspondem a US$ 550 milhões em recompras de ações e US$ 219 milhões em dividendos. A empresa concluiu a autorização de recompra de ações de US$ 5 bilhões de 2015 durante o terceiro trimestre e as compras do quarto trimestre serão feitas conforme a autorização de recompra de ações de US$ 5 bilhões de 2017.

“A melhor posição financeira da Delta foi reconhecida com uma classificação de crédito de grau de investimento da Standard & Poor’s neste trimestre – esta é a terceira agência a conferir esse status à Delta”, continuou Jacobson. “Com ótimos fluxos de caixa e uma abordagem sistemática de retorno aos acionistas por meio de recompra de ações e dividendos, estamos comprometidos com a continuidade da nossa franquia”.

Resultados do terceiro trimestre de 2017

Os itens especiais do trimestre se referem principalmente a ajustes de hedge de combustível de marcação no mercado (MTM).

 

 

 

 

 

 

 

GAAP

 

Ajustado

 

(US$ em mi, exceto valores por ação e unitários)

3T 2017

3T 2016

3T 2017

3T 2016

Lucro bruto

1.805

1.900

1.724

1.906

Lucro líquido

1.178

1.259

1.127

1.263

Rendimentos diluídos por ação

1.64

1.69

1.57

1.70

Despesa de combustível (incluindo transportadores regionais)

1.785

1.652

1.859

1.629

Preço médio do galão de combustível

1.61

1.50

1.68

1.48

Custo unitário consolidado (CASM/CASM-Ex)

13.14

12.33

10.05

9.58

Fluxo de caixa operacional

1.1645

1.854

1.562

1.771

Total de dívidas e arrendamentos de capital

8.808

7.565

8.848

6.403

 

 

 

 

 

 

Sobre a Delta

A Delta Air Lines serve a mais de 180 milhões de passageiros por ano. Em 2017, A Delta foi incluída no top 50 da edição 2014 da “Lista de Empresas Mais Admiradas do Mundo” da revista Fortune, bem como nomeada a companhia aérea mais admirada pela sexta vez em sete anos. Além disso, a Delta foi eleita como a empresa aérea número um na pesquisa Business Travel News pelo sexto ano consecutivo, sendo a primeira companhia aérea no topo do ranking. A Delta e as linhas que compõem a Delta Connection oferecem serviços para 311 destinos, em 54 países, em seis continentes. Com sede em Atlanta, a Delta emprega mais de 80.000 pessoas no mundo e opera uma frota com mais de 800 aeronaves. Membro fundador da aliança global SkyTeam, a Delta participa da aliança transatlântica líder da indústria com a Air France-KLM e Alitalia, bem como uma joint venture com a Virgin Atlantic. Incluindo seus parceiros mundiais, a Delta oferece aos seus clientes mais de 15.000 voos diários, com importantes hubs e mercados incluindo Amsterdam, Atlanta, Boston, Detroit, Los Angeles, Cidade do México, Minneapolis-St. Paul, Nova York-JFK, Nova York-LaGuardia, Londres-Heathrow, Paris-Charles de Gaulle, Salt Lake City, Seattle, Seul e Tokio-Narita. A Delta está investindo bilhões de dólares em aeroportos e produtos, serviços e tecnologia para aprimorar a experiência de viagem de seus clientes no céu e no solo. Mais informações estão disponíveis em Delta News Hub e em site delta.com, no Twitter @DeltaNewsHub, em Google.com/+Delta, em facebook.com/delta e em blog do Delta takingoff.delta.com.

Notas:

  1. A Nota A das Declarações Consolidadas das Operações fornece uma reconciliação de métricas financeiras não GAAP utilizada neste informativo para a métrica GAAP comparável e fornece os motivos pelos quais a direção utiliza essas medições.
  2. CASM-Ex, incluindo a participação no lucro: além da despesa de combustível, a Delta acredita que o ajuste de outras despesas é útil aos investidores, porque as outras despesas não são relacionadas à geração de milha por assento. Essas despesas incluem manutenção de aeronaves e serviços de pessoal que a Delta fornece a terceiros, as operações de férias de atacado da Delta e o custo de vendas de refinarias a terceiros. As quantias excluídas foram: US$ 387 milhões e US$ 247 milhões no terceiro trimestre de 2017 e 2016, respectivamente, e US$ 975 milhões e US$ 845 milhões ao final do período de nove meses encerrado em 30 de setembro de 2017 e 2016, respectivamente. A direção acredita que este método é mais consistente e comparável, refletindo melhor as operações da Delta.
  3. CASM-Ex normalizado, incluindo a participação no lucro: o novo contrato com pilotos da Delta foi ratificado em 1º de dezembro de 2016 e foi retroativo até 1º de janeiro de 2016. Por esta razão, a Delta reconheceu US$ 380 milhões em salários retroativos e outros benefícios no trimestre de dezembro de 2016. Em uma base normalizada, cerca de US$ 140 milhões desse valor se referem ao trimestre de setembro de 2016. Acreditamos que o ajuste deste período permite que os investidores entendam e analisem melhor o desempenho operacional principal da empresa em relação ao ano anterior.
  4. A despesa ajustada de combustível reflete, entre outras coisas, o impacto dos ajustes da marcação no mercado (MTM) e acertos. Os ajustes MTM são definidos como mudanças no valor justo registradas fora do período de acerto. Essas mudanças no valor justo não necessariamente indicam o valor de acerto real de hedge no período de acerto do contrato. Os acertos representam o caixa recebido ou pago em contratos de hedge acertados durante o período. Esses itens ajustam a despesa de combustível para mostrar o impacto econômico de hedge, incluindo o caixa recebido ou pago em contratos de hedge durante o período. Veja na Nota A a reconciliação da despesa ajustada de combustível e o preço médio do galão de combustível em relação à métrica GAAP comparável.

Declarações sobre previsões

As declarações nesta atualização para os investidores que não forem fatos históricos, incluindo declarações de estimativas, expectativas, crenças, intenções, projeções ou estratégias para o futuro, podem ser “declarações sobre previsões”, conforme definido na Lei de Reforma de Litígios de Títulos Privados de 1995. Todas as declarações sobre previsões envolvem uma série de riscos e incertezas que podem produzir resultados reais com diferença significativa em relação às estimativas, expectativas, crenças, intenções, projeções e estratégias refletidas ou sugeridas pelas declarações sobre previsões. Estes riscos e incertezas incluem, mas não somente, os efeitos de ataques terroristas ou conflitos geopolíticos; o custo do combustível das aeronaves; o impacto do reequilíbrio de nossa carteira de hedge, registrando ajustes MTM ou adicionando uma garantia em relação aos nossos contratos de hedge de combustível; a disponibilidade de combustível para aeronaves; o desempenho dos nossos investimentos significativos em companhias aéreas de outras regiões do mundo; os possíveis efeitos de acidentes envolvendo nossas aeronaves; as restrições que os compromissos financeiros em nossos contratos de financiamento terão em nossas operações financeiras e comerciais; questões trabalhistas; interrupções ou paradas no serviço em um dos aeroportos com nosso hub ou gateway; interrupções ou falhas de segurança em nossos sistemas de tecnologia da informação; interrupções na nossa infraestrutura de tecnologia da informação; nossa dependência da tecnologia para conduzir nossas operações; os efeitos do clima, de desastres naturais e sazonalidade em nossos negócios; os efeitos de uma interrupção prolongada dos serviços prestados por transportadoras regionais de terceiros; falha ou incapacidade do seguro de cobrir um passivo significativo na refinaria de Monroe em Trainer; o impacto da regulação ambiental na refinaria em Trainer, incluindo os custos relacionados a regulamentos de combustível renovável; nossa capacidade de manter a gerência e os principais funcionários; as condições competitivas no setor de transportes aéreos; os efeitos da regulamentação governamental extensiva em nossos negócios; a sensibilidade da indústria aérea a períodos prolongados de condições econômicas estagnadas ou fracas; a incerteza de condições econômicas e ambientes regulatórios no Reino Unido pouco antes e depois da saída do Reino Unido da União Europeia; e os efeitos da rápida propagação de doenças contagiosas. Informações adicionais sobre riscos e incertezas que poderiam causar diferenças entre os resultados reais e as previsões estão contidas nos nossos registros da Comissão de Valores Mobiliários e Câmbio, incluindo nosso Relatório Anual no Formulário 10-K referente ao ano fiscal encerrado em 31 de dezembro de 2016. Um cuidado especial deve ser considerado para não depositar confiança indevida em nossas previsões, que representam nossas opiniões válidas a partir de 11 de outubro de 2017 e que não pretendemos atualizar.

 

Português (Portuguese)
Follow Delta News Hub on Twitter Follow Delta News Hub on Facebook Google+ Follow Delta News Hub on LinkedIn Email Delta News Hub