ATUALIZAÇÃO, 2 DE FEVEREIRO,  15H, HORA DO LESTE DOS EUA 

A Delta continua trabalhando com agências do governo dos EUA para entender e aderir às restrições de viagem anunciadas pelos Serviços de Saúde e Humanos (HHS) dos EUA em resposta ao coronavírus, em vigor no dia 2 de fevereiro, às 17h, hora do leste dos EUA. As restrições podem afetar a entrada nos EUA de estrangeiros que viajaram para a China nas últimas duas semanas ou sujeitar os cidadãos dos EUA e certos indivíduos a possíveis mudanças de rota e possível quarentena, se estiveram na China.

Estes são fatos adicionais que os clientes precisam saber antes de ir para o aeroporto:

  • Os clientes que viajam para os EUA de qualquer país - não apenas da China - estão sujeitos a essas restrições de viagem.
  • Os clientes que partem dos EUA que estiveram na China nas últimas duas semanas devem verificar com o governo do país para o qual estão viajando e com a IATA para garantir que terão permissão para entrar.
  • Estrangeiros que estiveram na China nas últimas duas semanas partindo dos EUA e a quem foi negada a entrada no país de destino não serão permitidos de volta aos EUA a partir das 17h, hora do leste dos EUA, domingo, 2 de fevereiro.

A Delta anunciou, em 1º de fevereiro, que aceleraria seu plano de suspender temporariamente os voos entre os EUA e a China a partir de 2 de fevereiro, seguindo os protocolos de triagem da HHS dos EUA, atualizados a partir de 2 de fevereiro. O último voo para a China que partiu dos EUA ocorreu no sábado, 1º de fevereiro, enquanto o último voo de volta aos EUA partiu da China em 2 de fevereiro.

A companhia havia anunciado anteriormente um plano para suspender as operações a partir de 6 de fevereiro, mas avançou esse cronograma com base nos novos requisitos dos EUA que negam a entrada de estrangeiros que viajaram para a China nas últimas duas semanas, ou sujeitar a uma possível quarentena os cidadãos americanos que estiveram na província de Hubei, na China.

A primeira prioridade da Delta é ajudar seus clientes e cuidar de suas equipes. A companhia aérea está trabalhando com os clientes para fazer ajustes em seus planos de viagem, aproveitando os parceiros de codeshare, quando apropriado.

Os clientes com planos de viagem afetados podem acessar a seção Minhas viagens do delta.com para ajudá-los a entender suas opções, incluindo:

  • Reacomodação para voos após 30 de abril
  • Reacomodação em companhias aéreas alternativas
  • Solicitar um reembolso
  • Entrar em contato com a Delta para discutir opções adicionais.

A Delta prevê que os voos entre os EUA e a China permaneçam suspensos até 30 de abril, embora a companhia aérea continue monitorando a situação de perto e possa fazer ajustes adicionais à medida que a situação continuar evoluindo.

Atualização 1 DE FEVEREIRO, 10H, HORA DO LESTE DOS EUA

A Delta tomou a decisão de acelerar seu plano de suspender temporariamente os voos entre os Estados Unidos e a China e vai paralisá-los a partir do dia 2 de fevereiro, seguindo os protocolos de triagem do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, que entram em vigor em 2 de fevereiro. O último voo que sai dos Estados Unidos com destino à China parte no sábado, 1º de fevereiro, e o último voo de volta aos Estados Unidos parte da China em 2 de fevereiro.

A companhia havia anunciado anteriormente um plano para suspender as operações a partir de 6 de fevereiro, mas avançou esse cronograma com base nos novos requisitos dos Estados Unidos, que negam a entrada de estrangeiros que viajaram para a China nas últimas duas semanas ou sujeitam a uma possível quarentena os cidadãos americanos que estiveram na província de Hubei, na China.

A prioridade da Delta é ajudar seus clientes e cuidar de suas equipes. A companhia está trabalhando com os clientes para fazer ajustes em seus planos de viagem, aproveitando os parceiros de codeshare, quando apropriado.

Os clientes que tiveram os planos de viagem afetados podem acessar a seção Minhas Viagens (My Trips), no site do delta.com, para entender suas opções, incluindo:

  • Reacomodação em voos após 30 de abril
  • Reacomodação em companhias aéreas alternativas
  • Solicitação de reembolso
  • Contato com a Delta para discutir opções adicionais.

A expectativa da Delta é que os voos entre os Estados Unidos e a China permaneçam suspensos até 30 de abril, embora a companhia continue monitorando a situação de perto e possa fazer ajustes adicionais à medida que a situação evoluir.

Related Topics:
Share