ATLANTA, 7 de junho de 2012 – A manutenção de alta qualidade das refeições e a qualidade da Business Elite na Delta Air Lines, Inc. (NYSE: DAL) é um processo que exige múltiplos desafios. Desde a logística de fornecimento de ingredientes especiais até a classificação de onde, como e quando as refeições devem ser selecionadas e vinhos devem ser servidos como acompanhamento exige uma grande dose de planejamento e dedicação, e ninguém sabe isso melhor do que a consultora Michelle Bernstein e a master sommelier Andrea Robinson.

Um dos maiores desafios das profissionais é que aproximadamente um terço da capacidade sensorial do paladar é afetada pela altitude elevada. Na altitude de cruzeiro normal de 35.000 pés, a baixa umidade na cabine do avião seca o nariz e a boca, resultando em uma diminuição da capacidade do paladar, portanto, as refeições criadas no chão não têm o mesmo sabor quando consumidos em voo. O sabor precisa ser mais ousado, mais picante e bem equilibrado. O mesmo se aplica aos vinhos selecionados, que precisam ser complexos e ricos.

“Ao elaborar um cardápio, sou a favor de reduções com ervas e especiarias porque promovem complexidade e sabores brilhantes às refeições”, disse Bernstein. “Eu tenho um grande respeito por sal e pimenta e não gosto de abusar destes ingredientes. Eu me esforço para preparar as refeições que fazem as pessoas sentirem-se bem sobre o que comem e como se sentem depois. As refeições que eu elaboro devem refletir os sabores da América Latina, pois para a Delta é importante oferecer um gostinho das culturas que os viajantes estão experimentando.”

Outro difícil desafio é que as refeições têm de suportar o processo de aquecimento para preservar não só a sua textura e sabor, mas seu apelo visual. A disponibilidade de ingredientes sazonais em grandes quantidades também dita o que é servido a bordo. Um dos pratos favoritos dos passageiros na classe Business Elite é a costelinha com molho Chimichurri. Embora a seleção dos pratos seja rotativa, a chef Bernstein manteve este prato no menu pela demanda dos clientes. No entanto, os acompanhamentos podem mudar dependendo da época do ano.

A importância da disponibilidade de uma ampla seleção de vinhos também tem impacto importante para a companhia. Todos os anos, a master sommelier Andrea Robinson seleciona 12 vinhos tintos, seis vermelhos e seis brancos, sem falar nas milhares de ofertas de vinícolas de todo o mundo servidas na classe Business Elite.

"O que realmente conduz o processo é que os vinhos têm de ter uma presença real no palato e uma expressividade real, porque quando você chegaa 35.000 pés, seus sentidos como o olfato e o paladar ficam muito atenuados", disse Robinson. "Algumas coisas que provei são realmente boas no chão, mas por vezes, perdem seu caráter no voo."

Os vinhos selecionados por Robinson tendem a ser encorpados e ricos, para que possam enfrentar as condições especiais a 35.000 pés. Vinhos servidos para os clientes da Business Elite devem cumprir uma série de requisitos que levam em conta fatores diversos, desde complexidade e riqueza para a sofisticação exigida no rótulo a ser parte da experiência de Business Elite.

"Os produtores de vinhos de seleção devem ter em mente que é crucial a oferta em grandes quantidades", disse Sandy Gordon, vice-presidente de operações de voo. "Mais de 30.000 caixas de vinho são servidas a bordo de três em três meses." A amostragem dos vinhos é um processo anual aberta a qualquer vinícola e é feita na sede da Delta, em Atlanta.

Atualmente, a chef Bernstein está trabalhando no novo menu da classe Business Elite que será lançado em aproximadamente seis meses. A equipe Bernstein-Robinson é marcada pela estreita comunicação neste processo já que as suas ofertas aos clientes devem se complementar.

"Queremos inspirar os nossos clientes a descobrir o mundo através da nossa seleção de vinhos e refeições. Nossas seleções para a nossa Business Ellite na América Latina têm coração e alma e estamos orgulhosas delas", disse Robinson.

Sobre a Delta

A Delta Air Lines está trabalhando para se transformar na melhor companhia aérea da América Latina e Caribe. Como parte deste objetivo, a Delta estabeleceu uma aliança de longo prazo com a GOL Linhas Aereas Inteligentes, investindo mais de US$ 100 milhões na GOL. Da mesma forma, a Delta investiu mais de US$ 65 milhões na Aeroméxico como parte de uma aliança comercial exclusiva de longo prazo e iniciou um acordo de compartilhamento de voos com a Aerolíneas Argentinas, solidificando sua presença na América Latina. A revista Executive Traveler nomeou a Delta como sendo "a melhor experiência de viagem para o México." A Delta oferece serviço no Aeroporto Internacional Hartsfield-Jackson, em Atlanta, alcançando mais de 32 países e 54 destinos na região com mais de 1.000 voos semanais entre a América Latina e os Estados Unidos. Para os clientes que falam espanhol, a empresa oferece assistência em tempo real em espanhol via Twitter @DeltaAssist_ES das 9h às 22h (EST).

A Delta Air Lines serve mais de 160 milhões de passageiros ao ano. A Delta foi nomeada pelos leitores da revista Travel Weekly como a “Companhia Aérea do Ano” de voos domésticos e considerada pela revista PC World como a “Companhia Aérea Líder no Uso de Tecnologias” e ainda ganhou como a melhor na Pesquisa Anual da Business Travel News. Líderes de uma rede mundial, a Delta e a Delta Connection oferecem serviços para 350 destinos em 65 países em seis continentes. Com escritório principal em Atlanta, a Delta emprega mais de 80.000 pessoas no mundo e opera uma frota com mais de 700 aeronaves. Membro fundador da aliança global SkyTeam, a Delta participa da aliança transatlântica líder da indústria com a Air France-KLM e Alitalia. Incluindo seus parceiros mundiais, a Delta oferece aos seus clientes mais de 13.000 voos diários, com hubs em Amsterdã, Atlanta, Cincinnati, Detroit, Memphis, Minneapolis-St.Paul, New York-JFK, Paris-Charles de Gaulle, Salt Lake City e Tóquio-Narita. O serviço da companhia aérea inclui o SkyMiles, maior programa de fidelidade de companhia aérea do mundo; o premiado serviço BusinessElite; e mais de 50 Delta Sky Clubs em aeroportos no mundo. A Delta está investindo mais de três bilhões de dólares até 2013 em aeroportos e produtos, serviços e tecnologia para aprimorar a experiência do cliente no céu e na terra. Clientes podem checar informações sobre voos, passagem aérea, bagagens e revisar status de voo no site delta.com

 

 

Related Topics:
Share