• No quarto trimestre, finalizado em dezembro, companhia registrou ganho operacional, antes da incidência de impostos, de US$ 1,4 bilhão, lucro líquido de US$ 1,1 bilhão e ganho por ação diluída de US$ 1,71
  • No ano de 2019, o ganho operacional foi de US$ 6,2 bilhões e lucro por ação diluída de US$ 7,30, um aumento de quase 30% em relação ao ano anterior
  • Recorde no valor de participação nos lucros: US$ 1,6 bilhão será distribuído entre os 90 mil funcionários da Delta
  • Em 2019, a empresa apresentou fluxo de caixa operacional de US$ 8,4 bilhões e US$ 4,2 bilhões de fluxo de caixa livre

 A Delta Air Lines (NYSE:DAL) anunciou hoje os resultados financeiros relativos ao quarto trimestre, finalizado em dezembro, e de todo o ano de 2019, bem como divulgou suas expectativas para o primeiro trimestre de 2020. Os destaques dos resultados do quarto trimestre e do ano de 2019, obedecendo os critérios GAAP (Princípios Contábeis Geralmente Aceitos, na sigla em português) e outras métricas, estão na página quatro e foram incorporados aqui.

Destaques Financeiros do Quatro Trimestre

  • Lucro ajustado de US$ 1,70 por ação, um aumento de 31% em relação ao ano anterior; valor acima da orientação de US$ 1,20 a US$ 1,50 sobre a receita mais forte, combustível mais baixo e um ganho líquido de nove centavos relacionado ao desenrolar do relacionamento com a GOL
  • A receita total cresceu US$ 11,4 bilhões, o que corresponde a 7% a mais em relação ao ano anterior, levando em conta o ajuste para a venda da DAL Global Services (DGS)
  • A receita unitária total (TRASM), ajustada, cresceu 2,4%, superando as expectativas e impulsionada pela forte demanda das viagens de férias
  • As despesas operacionais não incluindo os custos com combustível, em base unitária (CASM-Ex), cresceram 4,4% em comparação ao mesmo período de 2018, alinhado com as expectativas da companhia, que esperava um crescimento de 4% a 5%

Destaques Financeiros do Ano de 2019

  • Lucro ajustado por ação de US$ 7,31, um aumento de 30% em comparação ao ano anterior
  • A receita total aumentou para US$ 47 bilhões, um recorde, o que significa um aumento de 7,5% considerando o mesmo período do ano anterior já ajustado com a venda de refinarias terceirizadas e DGS
  • As despesas totais aumentaram 3,9%, com o CASM-Ex subindo 2%, em linha com as metas de orientação e custo de longo prazo da empresa
  • Os 90 mil funcionários da Delta compartilharão, em 14 de fevereiro, um pagamento recorde de participação nos lucros de US$ 1,6 bilhão
  • O ano gerou US$ 8,4 bilhões em fluxo de caixa operacional e US$ 4,2 bilhões em fluxo de caixa livre
  • A companhia retornou US$ 3 bilhões aos acionistas por meio de dividendos e recompra de ações

“2019 foi um ano excepcional em todas as frentes – o melhor da história da Delta operacionalmente, financeiramente e também para os nossos clientes. Nosso pessoal, e seu compromisso de trazer as melhores experiências de viagem da categoria aos nossos 200 milhões de passageiros, são a base do nosso sucesso. Tenho o prazer de reconhecer esse excelente desempenho com uma participação nos lucros de US$ 1,6 bilhão em 2019, um recorde”, disse Ed Bastian, diretor executivo da Delta. À medida que entramos em 2020, a demanda por viagens se mantém aquecida e a preferência por nossa companhia está crescendo, tornando a Delta apta para entregar mais um ano de fortes resultados, incluindo ganhos por ação de US$ 6,75 a US$ 7,75.Earnings chart

 

Perspectivas do Primeiro Trimestre de 2020

 

Previsão do 1T20

Crescimento total da receita (ano a ano)

De 5% a 7%

Margem antes dos impostos (ano a ano)

~ Flat

Preço do combustível, incluindo impostos e impacto da refinaria

US$ 2,00 a US$ 2,20

TRASM, ajustado (ano a ano)

Flat até 2%

CASM-Ex (ano a ano)

De 2% a 3%

Veja nota A para obter informações sobre a reconciliação de medidas financeiras não-GAAP projetadas

Receita

Ao longo de 2019, a receita operacional cresceu para quase US$ 47 bilhões, já considerando o ano anterior ajustado com a venda de refinarias e da DGS. A receita com bilhetes e produtos premium teve um acréscimo de 9%, juntamente com um expressivo aumento percentual de dois dígitos em relação à receita de fidelização e manutenção de terceiros.

A receita operacional da Delta de US$ 11,4 bilhões no quarto trimestre melhorou 7,2% – o equivalente a US$ 768 milhões – em relação a 2018 (ajustado para a venda da DGS). O valor foi impulsionado pelo aumento de 9% na receita com bilhetes e produtos premium, pelo crescimento de 18% na receita de fidelização e um incremento de 31% na receita de manutenção de terceiros, que foi parcialmente compensado pela receita de carga 13% menor.

Receita de passageiros no quarto trimestre por região geográfica:

  • A receita interna cresceu 7,7% no trimestre com receita unitária de passageiros (PRASM) 1,6% maior e capacidade 6% maior.  A receita de produtos premium domésticos cresceu 11% e a receita corporativa cresceu 6%, impulsionada pela força na demanda de negócios e lazer durante o período de férias. A receita e a margem melhoraram em todos os hubs domésticos, com receita de até 10% nos hubs costeiros e 6% nos principais centros.
  • A receita atlântica cresceu 0,8% no trimestre com capacidade 2,4% maior e uma queda de 1,6% no PRASM, impulsionada quase inteiramente pelas taxas de câmbio.
  • A receita latina cresceu 6,7%, com um aumento de 6,3% na receita unitária e 0,4% maior capacidade.  Essa melhora de receita foi impulsionada pelo contínuo crescimento da receita unitária de dois dígitos no Brasil e no México.
  • A receita do Pacífico caiu 0,5% em relação ao ano anterior em uma queda de 4,4% na receita unitária, principalmente devido ao ritmo menor na China.  Essa foi uma melhoria de 3,2 pontos em relação ao terceiro trimestre de 2019, impulsionado por melhorias no mercado japonês e o forte desempenho da Delta Premium Select.

"Nosso desempenho operacional líder do setor e o serviço incomparável que nosso pessoal oferece são as razões pelas quais mais e mais clientes estão escolhendo voar pela Delta. Os investimentos em confiabilidade, produto e serviço, aeroportos e tecnologia estão remodelando a percepção do cliente, impulsionando os níveis de satisfação recorde e aumentando a preferência pela marca", disse Glen Hauenstein, presidente da Delta. "Fizemos US$ 47 bilhões em receita em 2019, um aumento de mais de US$ 3 bilhões quando ajustado em relação ao ano anterior, ao mesmo tempo em que sustentamos um prêmio de receita para a indústria de mais de 110%. As tendências de demanda permanecem aquecidas e esperamos que a dinâmica continue em 2020, com um crescimento de receita de 5% a 7% no primeiro trimestre de 2020."

Desempenho dos custos

Em 2019, as despesas totais aumentaram 3,9%, impulsionadas por maiores custos relacionados à receita e capacidade, participação nos lucros e despesas com pensões, que foram parcialmente compensadas pelo custo de combustível mais baixo, na casa dos US$ 501 milhões. A CASM-Ex para 2019 aumentou 2% em relação ao ano anterior, refletindo o investimento contínuo da Delta em pessoal, produto e serviços.    

Especificamente no quatro trimestre, as despesas totais aumentaram 6,9% em relação ao ano anterior. Isso porque houve gastos mais altos relacionados à receita, capacidade e participação nos lucros, parcialmente compensados por uma economia de US$ 315 milhões nos custos com combustível.  Nesse período, o Casm-Ex foi de 4,4% em comparação com o ano anterior, índice gerado pelo investimento em pessoal, produto e serviços, além de obrigações de balanço relacionados com benefícios.

As despesas com combustível diminuíram 14% em relação ao quarto trimestre de 2018. O preço do combustível da Delta no último trimestre de 2019 foi de US$ 2,01 por galão, incluindo um benefício de US$ 24 milhões para a refinaria.

Fluxo de Caixa e Retorno aos Acionistas

Durante todo o ano, a Delta gerou US$ 8,4 bilhões em fluxo de caixa operacional e US$ 4,2 bilhões em fluxo de caixa livre. O fluxo de caixa líquido para o ano de 2019 é de US$ 1 bilhão em contribuições voluntárias para aposentadorias, incluindo US$ 500 milhões feitas no último trimestre do ano.

A empresa investiu US$ 4,5 bilhões nos negócios em 2019, incluindo US$ 954 milhões no último trimestre. Foram 88 novas aeronaves adquiridas durante o ano. A contínua renovação da frota da empresa visa gerar maior satisfação do cliente, o aumento dos assentos premium disponíveis e maior eficácia no uso de combustível.

No último trimestre do ano, a Delta gerou US$ 969 milhões em fluxo de caixa operacional e US$ 141 milhões em fluxo de caixa livre. A Delta devolveu US$ 484 milhões aos acionistas, incluindo US$ 225 milhões em recompras de ações e US$ 259 milhões em dividendos durante o trimestre. Durante todo o ano, a Delta devolveu US$ 3 bilhões aos acionistas, incluindo US$ 2 bilhões em recompras de ações e US$ 980 milhões em dividendos.

"A forte geração de caixa continua a diferenciar a Delta e permite um constante reinvestimento nos negócios, mantendo os retornos de caixa para os proprietários em 70% do fluxo de caixa livre", acrescentou Jacobson. "Esperamos gerar um fluxo de caixa livre de US$ 4 bilhões novamente este ano, colocando-nos no caminho de entregar um fluxo de caixa livre acumulado de três anos acima de US$ 10 bilhões até o final de 2020".

Destaques estratégicos

Em 2019, a Delta alcançou vários marcos em seus cinco principais pilares estratégicos.

Cultura e Pessoas

  • O pessoal da Delta recebeu US$ 1,6 bilhão em participação nos lucros e US$ 87 milhões em recompensas compartilhadas, um reconhecimento ao excelente desempenho dos 90.000 funcionários da Delta em 2019.
  • Contribuímos com mais de US$ 60 milhões e 800.000 horas de voluntariado em 2019 como parte do compromisso da Delta com as comunidades em que estamos inseridos. Foi lançado o programa Great Delta Give-Back, um reforço no compromisso com as comunidades que a Delta atende em todo o mundo, oferecendo aos funcionários um dia de serviço pago anual.

Confiabilidade Operacional

  • Em 2019, alcançamos 281 dias de zero cancelamento em nossas principais rotas e 165 dias de zero cancelamento em todo o sistema. Esses números representam uma melhoria de 12% e 15%, respectivamente, em relação a 2018.
  • Atingimos o fator de conclusão de registros em 2019, com base no sistema e nas rotas principais, com um fator de conclusão de 99,83%.
  • Obtivemos um recorde histórico de 204 milhões de clientes em 2019, 6% a mais que no ano anterior, com uma taxa de ocupação recorde de 86,3%.
  • Obtivemos uma melhoria de 2% na eficiência de combustível por meio de renovação de frota e outras iniciativas. A Delta também firmou um acordo com a Gevo para o uso de 10 milhões de galões de combustível sustentável para aviação por ano.

Rede e Parcerias

  • Fortalecemos parcerias globais em todas as entidades internacionais com: o anúncio de uma aliança estratégica com o Grupo LATAM Airlines, incluindo a conclusão de uma oferta pública para adquirir uma participação acionária de 20%; o investimento em ações em Hanjin-KAL, o maior acionista da Korean Air; aprovação do Departamento de Transporte dos Estados Unidos para imunidade antitruste para a joint venture expandida entre Delta, Air France, KLM e Virgin Atlantic.
  • Anunciamos uma combinação entre a Delta Private Jets e a Wheels Up, uma empresa de aviação privada, para criar uma das maiores frotas próprias e gerenciadas de aeronaves particulares do mundo, com mais de 190 aeronaves e 8.000 clientes na empresa combinada.
  • Ampliamos o alcance global da Delta com novos serviços entre Amsterdã-Tampa, Boston-Edimburgo, Boston-Lisboa, Mineápolis-Cidade do México, Mineápolis-Seul, Nova York JFK-Bogotá, Nova York JFK-Mumbai e Seattle-Osaka.

Fidelidade e Experiência do Cliente

  • Anunciamos uma renovação de contrato de 11 anos entre a Delta e a American Express, com a contribuição de US$ 4,1 bilhões em 2019 ampliada para quase US$ 7 bilhões até 2023, incluindo um relançamento completo em que os titulares de cartões poderão aproveitar mais maneiras de ganhar milhas.
  • Adicionamos um número recorde de novos membros SkyMiles em um ano, com o número de novos membros aumentando mais que o triplo em relação a apenas três anos atrás e adicionando um recorde de 1,1 milhão de novos titulares de cartão Delta American Express, marcando o terceiro ano consecutivo com mais de um milhão de novos titulares de cartão.
  • Lançamos uma experiência internacional de cabine principal líder do setor, projetada por comissários de bordo para elevar e diferenciar a experiência do cliente Delta, com toques bem pensados, como coquetéis de boas-vindas, serviço de toalhas quentes, refeições no estilo bistrô e muito mais.
  • Recebemos 88 novas aeronaves, incluindo as A220-100 e A330-900neo, com entretenimento a bordo, espaçosos compartimentos de bagagem e almofadas de espuma com memória em toda a aeronave, para maior conforto.
  • Atualizamos o aplicativo FlyDelta, que fornece check-in internacional automático, tempos de espera na área de segurança integrados e a capacidade de pré-selecionar refeições no Delta One e na Primeira Classe doméstica.
  • Fomos premiados como a companhia aérea número 1 na Pesquisa de companhias aéreas pela Business Travel News pelo nono ano consecutivo, conquistando prêmios nas 11 categorias.

Balanço do grau de investimento

  • Relatamos uma dívida ajustada em 1,7x / EBITDAR, nos posicionando na extremidade inferior de nossa meta de longo prazo de 1,5x a 2,5x a dívida ajustada em relação ao EBITDAR, que deverá permitir à Delta manter classificações de grau de investimento durante um ciclo de negócios.
  • Concluímos uma oferta de dívida não garantida de US$ 1,5 bilhão por meio de um mix de notas de cinco e 10 anos a uma taxa combinada de 3,24%, as mais baixas taxas não garantidas alcançadas pela Delta para esses períodos de maturidade em sua história. Os recursos dessa oferta foram utilizados para financiar a aquisição da participação de 20% no LATAM Airlines Group.

Resultados do Quarto Trimestre e do ano completo de 2019

Os resultados ajustados excluem principalmente o impacto dos ajustes mark-to-market ("MTM")

 

GAAP

Ajustado

GAAP

Ajustado

($ em milhões, exceto por ação e custos unitários)

4T19

4T18

4T19

4T18

FY19

FY18

FY19

FY18

Resultado líquido

1,099 

 

1,019 

 

1,096 

 

885 

 

4,767 

 

3,935 

 

4,773 

 

3,893 

 

Lucro diluído por ação

1.71 

 

1.49 

 

1.70 

 

1.30 

 

7.30 

 

5.67 

 

7.31 

 

5.61 

 

Receita operacional

11,439 

 

10,742 

 

11,437 

 

10,668 

 

47,007 

 

44,438 

 

46,910 

 

43,645 

 

Receita total por assento disponível por milha (TRASM)

17.47 

 

17.18 

 

17.47

17.06 

 

17.07 

 

16.87 

 

17.03

16.57 

 

Custo unitário consolidado (CASM/CASM-Ex)

15.34 

 

15.44 

 

11.21 

 

10.74 

 

14.67 

 

14.87 

 

10.52 

 

10.31 

 

Sobre a Delta

Delta Air Lines (NYSE: DAL) é a companhia aérea global dos E.U.A. líder em produtos, serviços, inovação, confiabilidade e experiência do cliente. Fortalecida por suas 90,000 pessoas ao redor do mundo, a Delta continua a investir bilhões em suas pessoas, entregando uma experiência de viagem de categoria global, e gerando retornos aos acionistas sem precedentes na indústria. Com seu constante objetivo em investir, inovar e expandir, a Delta hoje é a companhia aérea global dos E.U.A número 1 em receitas totais.

Declarações Prospectivas

As declarações nesta atualização para os investidores que não forem fatos históricos, incluindo declarações de estimativas, expectativas, crenças, intenções, projeções ou estratégias para o futuro, podem ser “declarações prospectivas”, conforme definido na Lei de Reforma de Litígios de Títulos Privados de 1995. Todas as declarações prospectivas envolvem uma série de riscos e incertezas que podem causar diferenças significativas nos resultados reais em relação às estimativas, expectativas, crenças, intenções, projeções e estratégias refletidas ou sugeridas pelas declarações prospectivas. Estes riscos e incertezas incluem, mas não somente, custo do combustível das aeronaves; disponibilidade do combustível de aviação; impacto da atividade de hedging de combustível, incluindo reequilíbrio da nossa carteira de hedge; ajustes na marcação de mercado ou garantia relacionada aos contratos de hedge de combustível; a performance dos nossos significativos investimentos em companhias aéreas em outras partes do mundo; possíveis efeitos de acidentes envolvendo nossas aeronaves; interrupções ou falhas de segurança dos nossos sistemas de tecnologia da informação; interrupções em nossa infraestrutura de tecnologia da informação; nossa dependência por tecnologia nas operações; restrições que os compromissos financeiros em nossos contratos de financiamento podem ter em nossas operações financeiras e comerciais; questões trabalhistas; efeitos meteorológicos, de desastres naturais e sazonalidade em nossos negócios; efeitos de uma interrupção prolongada dos serviços prestados por transportadoras regionais de terceiros; falha ou incapacidade do seguro de cobrir um passivo significativo na refinaria de Monroe em Trainer; impacto da regulação ambiental na refinaria em Trainer, incluindo os custos relacionados a regulamentos de combustível renovável; nossa capacidade de manter a alta gerência e os principais funcionários; danos em nossa reputação e marca se formos expostos à publicidade adversa significativa nas redes sociais;

efeitos de ataques terroristas ou conflitos geopolíticos; condições competitivas no setor de transportes aéreos; interrupções ou paradas no funcionamento de aeroportos onde operamos; efeitos da regulamentação governamental extensiva em nossos negócios; a sensibilidade da indústria aérea a períodos prolongados de condições econômicas estagnadas ou fracas; incerteza nas condições econômicas e no ambiente regulatório no Reino Unido com relação à saída do país da União Europeia; e efeitos da rápida propagação de doenças contagiosas.

Informações adicionais sobre riscos e incertezas que possam causar diferenças entre os resultados reais e as previsões estão contidas nos nossos registros da Comissão de Valores Mobiliários e Câmbio, incluindo nosso Relatório Anual no Formulário 10-K para o ano fiscal encerrado em 31 de dezembro de 2019.  Um cuidado especial deve ser considerado para não depositar confiança indevida em nossas previsões, que representam nossas opiniões válidas a partir de 14 de janeiro de 2020 e que não pretendemos atualizar.

Earnings 3

Earnings 4

Earnings chart 6

 

Earnings chart 6

A tabela a seguir fornece uma conformidade de caixa, equivalentes de caixa e caixa restrito relatados nos balanços patrimoniais consolidados com o total igual aos valores mostrados acima:

Earnings 7

Earnings 8

Nota A: As tabelas a seguir mostram a conformidade de medidas financeiras não-GAAP. Os motivos pelos quais a Delta usa essas medidas estão descritos abaixo. As conformidades podem não ser calculadas devido a arredondamentos.

A Delta às vezes usa informações ("medidas financeiras não-GAAP") derivadas das Demonstrações Financeiras Consolidadas, mas que não são apresentadas de acordo com os princípios contábeis geralmente aceitos nos EUA ("GAAP"). De acordo com as regras da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA, as medidas financeiras não-GAAP podem ser consideradas além dos resultados preparados de acordo com o GAAP, mas não devem ser consideradas um substituto ou superior aos resultados do GAAP. As tabelas abaixo mostram conformidades de medidas financeiras não-GAAP usadas neste release com as medidas financeiras GAAP mais diretamente comparáveis.

Projeções para o futuro. A Companhia não pode conciliar medidas financeiras não-GAAP futuras, porque os itens de ajuste, como os utilizados nas reconciliações abaixo, não serão conhecidos até o final do período e podem ser significativos.

Fluxo de caixa livre. Apresentamos fluxo de caixa livre porque a administração acredita que essa métrica é útil para os investidores avaliarem a capacidade da empresa de gerar caixa disponível para uso na dívida ativa ou em iniciativas corporativas gerais. Os ajustes incluem:

Resgates líquidos de investimentos de curto prazo. Os resgates líquidos de investimentos de curto prazo representam a atividade líquida de compra e venda de investimentos e valores mobiliários no período, incluindo ganhos e perdas. Ajustamos essa atividade para fornecer aos investidores uma melhor compreensão do fluxo de caixa livre da empresa gerado por nossas operações.

Investimentos estratégicos. Os fluxos de caixa relacionados ao nosso investimento na Hanjin-KAL, o maior acionista da Korean Air, estão incluídos em nossas atividades de investimento GAAP. Ajustamos o fluxo de caixa livre para essa atividade, pois fornece uma comparação mais significativa com o setor de transporte aéreo.

Fluxos de caixa líquidos relacionados a certos projetos de construção de aeroportos e outros. Os fluxos de caixa relacionados a certos projetos de construção de aeroportos estão incluídos em nossas atividades operacionais GAAP e em investimentos de capital. Ajustamos esses itens, que foram financiados principalmente por caixa restrito à construção de aeroportos, para fornecer aos investidores uma melhor compreensão do fluxo de caixa livre da empresa e dos investimentos em capital que são essenciais para nosso desempenho operacional nos períodos mostrados.

Earnings 9

Lucro Líquido, ajustado. Ajustamos o lucro líquido para os seguintes itens para determinar o lucro líquido, ajustado pelos motivos descritos abaixo.

Ajustes e liquidações de MTM em cobertura. Os ajustes de marcação em mercado ("MTM") são definidos como mudanças no valor justo registradas em períodos diferentes do período de liquidação. Tais mudanças no valor justo não são necessariamente indicativas do valor real de liquidação do hedge subjacente no período de liquidação do contrato. Os acordos representam dinheiro recebido ou pago em contratos de cobertura liquidados durante o período aplicável.

Ajustes de MTM de investimento em ações. Registramos nossa participação proporcional nos ganhos / perdas de nossos investimentos em ações na Virgin Atlantic e Aeroméxico em despesa não operacional. Ajustamos pelo nosso método de equivalência patrimonial, ajustes de MTM da carteira de cobertura para permitir que os investidores entendam e analisem nosso desempenho operacional principal nos períodos mostrados.

Ajustes de MTM nos investimentos. Os ganhos / perdas não realizados em nossos investimentos em ações na GOL, China Eastern, Air France-KLM e Korean Air, que são contabilizados pelo valor justo em despesas não operacionais, são motivados por mudanças nos preços das ações e na moeda estrangeira. Durante o trimestre de dezembro de 2019, vendemos nosso investimento na GOL, o que gerou um ganho nos resultados ajustados que anteriormente haviam sido incluídos nos resultados GAAP. O ajuste para esses ganhos / perdas permite que os investidores entendam e analisem melhor nosso desempenho operacional principal nos períodos mostrados.

Ajuste de venda DGS. Como vendemos a DAL Global Services, LLC ("DGS") em dezembro de 2018, excluímos o impacto do DGS dos resultados de 2018 para fins de comparabilidade.

Earnings 10

Receita Operacional, receita ajustada e receita total por milha disponível ("TRASM"), ajustada. Ajustamos a receita operacional e o TRASM para vendas de refinarias a terceiros porque as vendas de refinarias a terceiros não estão relacionadas ao nosso segmento de companhias aéreas. A receita operacional, ajustada e TRASM, ajustada, portanto, fornece uma comparação mais significativa da receita de nossas operações aéreas com o restante do setor aéreo. Ajustamos a venda da DGS pelo mesmo motivo descrito acima, no parágrafo receita antes de impostos e lucro líquido, ajustado.

Earnings 11

Custo unitário sem combustível ou custo por milha de assento disponível ("CASM-Ex"). Ajustamos o CASM para os seguintes itens para determinar o CASM-Ex pelos motivos descritos abaixo:

Combustível de aeronave e impostos relacionados. A volatilidade nos preços dos combustíveis afeta a comparabilidade do desempenho financeiro ano a ano. O ajuste para combustível de aeronave e impostos relacionados permite que os investidores entendam e analisem nossos custos de não combustível e desempenho financeiro ano a ano.

Empresas auxiliares e refinaria. Ajustamos as despesas relacionadas à manutenção de aeronaves que fornecemos a terceiros, nossas operações de férias, nossas operações de jatos particulares, bem como o custo de vendas das refinarias a terceiros. Os resultados de 2018 também incluem serviços de pessoal realizados pela DGS. Como essas empresas não estão relacionadas à geração de uma milha por assento, ajustamos os custos relacionados a essas áreas para fornecer uma comparação mais significativa dos custos de nossas operações aéreas com o restante do setor aéreo.

Partilha de lucros. Ajustamos a participação nos lucros, porque esse ajuste permite aos investidores entender e analisar melhor nosso desempenho recorrente dos custos e fornece uma comparação mais significativa de nossos principais custos operacionais com o setor de transporte aéreo.

Earnkngs 12

Despesas de capital, líquidas. Apresentamos dispêndios líquidos de capital porque a administração acredita que os investidores devem ser informados de que uma parte desses gastos de capital é reembolsada por terceiros.

Earnings 13

Dívida ajustada ao lucro antes de juros, impostos, depreciação, amortização e aluguel ("EBITDAR"). Apresentamos a dívida ajustada ao EBITDAR porque a administração acredita que essa métrica é útil para os investidores na avaliação do perfil geral da dívida da empresa. A dívida ajustada inclui passivos de arrendamento operacional. Calculamos o EBITDAR adicionando depreciação e amortização à receita operacional GAAP e ajustando a parcela fixa da despesa de arrendamento operacional.

Earnings 14

Earnings chart 4