• O lucro bruto ajustado1 foi de US$ 2,2 bilhões, um aumento de US$ 547 milhões no comparativo com o mesmo período do ano passado.
  • O lucro líquido ajustado de US$ 1,74 por ação diluída.
  • Na base GAAP, o lucro bruto foi de US$ 2,1 bilhões e o lucro líquido foi de US$ 1,65 por ação.
  • A empresa devolveu US$ 532 milhões para os acionistas por meio de dividendos e recompras de ações.

A Delta anunciou hoje seus resultados financeiros para o trimestre finalizado em setembro de 2015, incluindo o lucro líquido ajustado1 de US$ 1,4 bilhão ou US$ 1,74 por ação diluída, valor 45% maior do que o do trimestre encerrado em setembro de 2014.

"Apesar da volatilidade cambial e das incertezas econômicas globais que conduziram a um declínio moderado na receita, ampliamos as margens operacionais por mais de cinco pontos para 21%, aumentamos o lucro por ação em 45% e geramos US $ 1,4 bilhão em fluxo de caixa livre no trimestre de setembro, enquanto a demanda permanece sólida e os preços dos combustíveis caíram substancialmente. Esperamos que esse forte desempenho continue no quarto trimestre, com margens operacionais de 16 a 18% e que os mais de 40% de lucro por ação cresça", disse Richard Anderson, CEO da Delta. "É uma honra reconhecer o trabalho árduo dos excepcionais 80 mil funcionários da Delta com mais de US$ 1 bilhão em participação nos lucros acumulados neste ano até o momento. Nossa equipe consistentemente oferece as melhores operações e serviços do mercado para os nossos clientes, desenvolve soluções inovadoras com nossos parceiros globais e produz grandes retornos para os nossos acionistas. "

Ambiente da Receita

A receita operacional da Delta para o terceiro trimestre diminuiu 0,6% ou US$ 71 milhões, incluindo os US$ 235 milhões em pressões sofridas por moedas estrangeiras. A receita unitária por passageiro caiu 4,9%, o que inclui aproximadamente 2.5 pontos do impacto de moedas estrangeiras.

A Delta continua a implementar com sucesso sua iniciativa de tarifas de marca, aumentando a taxa de ocupação paga na primeira classe em 8 pontos, para 56% e expandindo o produto Basic Economy para mais de 450 mercados. No total, os produtos de marca produziram mais de US$ 75 milhões em receita adicional no terceiro trimestre.

“Nossas iniciativas comerciais estão obtendo benefícios sólidos enquanto expandimos nossa receita premium para a indústria, fortalecendo nossos hubs em Nova York, Seattle e Los Angeles, e aprofundando nossas parcerias em todos o mundo. No entanto, os baixos preços de combustível e as moedas estrangeiras pressionaram nossa performance de rendimentos”, disse Ed Bastian, presidente da Delta. "Para manter a nossa capacidade do sistema parecida para o quarto trimestre, estamos promovendo ações para estimular melhorias em nossas receitas unitárias, as quais prevemos que diminuirão 2,5-4,5% no trimestre, incluindo 2 pontos de impacto de moedas estrangeiras. Nosso crescimento conservador neste ambiente de baixo custo de combustível é uma prova do nosso compromisso para a trazer o RASM de volta em uma trajetória positiva, que é um componente importante para atingir nossas metas de margem de longo prazo."

Bastian continuou, "Quando olhamos para frente, os preços dos combustíveis continuam voláteis e não estamos reformulando as operações por baixos preços de combustível. Nosso plano é para a capacidade de crescimento de 2016 de 0-2%, o que acreditamos ser o nível adequado para equilibrar a oferta e a procura e garantir que a dinâmica em nosso negócio continue."

Orientações para o quarto trimestre de 2015

As projeções da Delta para o quarto trimestre de 2015 seguem abaixo:

Performance de custo

As despesas ajustadas com combustível2   sofreram uma queda de mais de US$ 1,1 bilhão em comparação ao mesmo período em 2014, assim como os preços de combustível do mercado 50% menores e um aumento de US$ 87 milhões no lucro na refinaria atenuam US$ 250 milhões em perdas de hedge liquidadas.

O CASM-Exsofreu um aumento de 0,9% para o terceiro trimestre na comparação com o mesmo período do ano passado, com reflexo do câmbio e os benefícios do setor doméstico da Delta e outras iniciativas de custo, os quais foram compensados pelos investimentos da empresa em seus funcionários, produtos e operações. O terceiro trimestre também incluiu aproximadamente 1 ponto de pressão de custo unitário de acréscimos de benefícios relacionados a aumentos salariais, recentemente anunciados para os funcionários da Delta.

A iniciativa de redução de dívida da Delta continuou a melhorar as despesas com juros da empresa, produzindo US$ 33 milhões em economias de juros para esse trimestre, comparado ao mesmo período em 2014.

"Nós continuamos a nos beneficiar da queda dos preços dos combustíveis, que forneceu US$ 1 bilhão em resultados positivos neste trimestre e, a preços atuais, conduzirá a um benefício de US$ 750 milhões no quarto trimestre", disse Paul Jacobson, diretor financeiro da Delta. "Com os preços voláteis dos combustíveis e as receitas sob pressão, estamos utilizando o ambiente atual para avaliar e podar custos em todas as partes da operação, incluindo as nossas despesas gerais, certificando-se de que estamos investindo nas partes certas da companhia aérea e em níveis que podemos manter ao longo do tempo."

Fluxo de caixa, retorno aos acionistas e dívida líquida ajustada4

A Delta gerou US$ 2,4 bilhões de fluxo de caixa operacional ajustado e US$ 1,4 bilhão de fluxo livre de caixa durante o trimestre. A empresa utilizou essa forte geração de caixa para reinvestir cerca de US$ 1 bilhão de volta na operação, incluindo US$ 450 milhões para sua participação acionária de 3,5% na China Eastern. A empresa devolveu US$ 532 milhões a seus proprietários por meio de US$ 107 milhões em dividendos e US$ 425 milhões em recompras de ações, ao mesmo tempo que fortaleceu seu balanço ao reduzir sua dívida líquida ajustada para US$ 6,4 bilhões.

Durante o trimestre, a Delta refinanciou sua linha de crédito sindicalizada à frente de seu vencimento programado. Os novos empréstimos incluem uma linha de crédito rotativa não utilizada de US$ 1,5 bilhão, um empréstimo a prazo de US$ 500 milhões e um EETC de US$ 500 milhões com uma taxa composta de 3,77%. A melhoria da força do balanço da Delta permitiu reduzir a taxa global sobre o endividamento e aumentar sua capacidade de linha de crédito rotativa em US$ 275 milhões. Além disso, a empresa reduziu o valor principal em aberto em US$ 320 milhões, uma vez que continua em direção a sua meta de endividamento de US$ 4 bilhões até 2017.

"Os fluxos de caixa fortes que estamos produzindo são o que nos permite reinvestir em nossa operação e nossos funcionários, enquanto trabalhamos para a realização de um balanço do grau de investimento e também retornamos níveis crescentes de dinheiro aos acionistas", continuou Jacobson. "Desde o início do nosso programa de retorno de capital, já aposentamos 8% do total de ações em circulação da Delta, reduzindo nossa dívida líquida ajustada em aproximadamente US$ 4 bilhões durante o mesmo período."

Medidas GAAP relativas ao combustível, custo de desempenho e fluxo de caixa

Seguem abaixo as medidas GAAP correspondentes aos dados não-GAAP citados acima

Itens especiais

Itens especiais, líquido de impostos, no terceiro trimestre de 2015 totalizou US$ 69 milhões, incluindo:

Encargo de US$ 69 milhões principalmente para ajustes da marcação a mercado de hedge de combustível liquidante em períodos futuros.

Itens especiais, líquido de impostos, no terceiro trimestre de 2014 totalizou US$ 657 milhões, incluindo:

Encargo de US$ 397 milhões para frotas e outros itens;

Encargo de US$ 215 milhões para ajustes da marcação a mercado de hedge de combustível liquidante em períodos futuros;

Encargo de US$ 87 milhões para extinção de dívida e outros itens; e

Ganho de US$ 42 milhões relacionado a um acordo judicial.

Notas finais

(1) A nota A para as demonstrações financeiras consolidadas fornece uma reconciliação das medidas financeiras não-GAAP utilizadas neste comunicado e fornece os motivos pelo qual a gestão utiliza essas medidas.

(2) As despesas ajustadas de combustível refletiram, entre outras coisas, o impacto da marcação a mercado ("MTM"), ajustes e liquidações. Os ajustes MTM são definidos como mudanças justas de valor registradas em outros períodos que o período de acordo. Tais variações de valor justas não são necessariamente indicativos do valor de liquidação real da cobertura subjacente no período de liquidação do contrato. Liquidações representam dinheiro recebido ou pago sobre contratos de hedge que se estabelecem durante o período. Esses itens ajustam os gastos com combustível para mostrar o impacto econômico de cobertura, incluindo dinheiro recebido ou pago em contratos de hedge durante o período. Veja a nota A para uma reconciliação da despesa de combustível ajustado e o preço médio do combustível por galão para métrica GAAP comparável.

(3) CASM - Ex: além de gastos com combustível, participação nos lucros e itens especiais, a Delta acredita que a exclusão de determinadas outras despesas é útil para os investidores porque outras despesas não estão relacionadas com a geração de uma milha de assento. Essas despesas incluem manutenção de aeronaves e serviços de pessoal que a Delta fornece a terceiros, operações de férias e atacado da Delta e os custos da refinaria de vendas a terceiros. Os montantes excluídos foram US$ 306 milhões e US$ 175 milhões, para os terceiros trimestres de 2015 e 2014, respectivamente, e US$ 945 milhões e US$ 616 milhões para os primeiros nove meses finalizados em 30 de setembro de 2015 e 2014, respectivamente. A Administração acredita que esta metodologia proporciona uma reflexão mais coerente e comparável das operações aéreas da Delta.

(4) A dívida líquida ajustada inclui US$ 381 milhões de margem de hedge a receber, que é o dinheiro que temos lançado com contrapartidas como margem de hedge. Ver nota A para obter informações adicionais sobre o nosso cálculo da dívida líquida ajustada.

Declarações prospectivas

As declarações contidas neste press release não são fatos históricos, incluindo declarações sobre as nossas estimativas, expectativas, crenças, intenções ou estratégias, projeções para o futuro, podem ser "declarações prospectivas", conforme definido na Lei de Reforma de Litígio de Títulos de 1995. Todas as declarações prospectivas envolvem uma série de riscos e incertezas que podem causar resultados reais diferentes das estimativas, expectativas, crenças, intenções, projeções e estratégias refletidas ou sugeridas pelas declarações prospectivas. Estes riscos e incertezas incluem, mas não estão limitados, ao custo do combustível de aviação; o impacto da garantia da postagem na conexão com os nossos contratos de cobertura de combustível; o impacto das obrigações de financiamento significativos no que diz respeito aos planos de pensão de benefício definido; o impacto que o nosso endividamento pode ter sobre nossas atividades financeiras e operacionais e nossa capacidade de incorrer em dívida adicional; as restrições financeiras em nossos contratos de financiamento terão sobre nossas operações financeiras e de negócios; questões trabalhistas; interrupções ou rupturas no serviço dos aeroportos de nosso hub; a nossa crescente dependência de tecnologia em nossas operações; a capacidade de nossos processadores de cartão de crédito de tirar retenções significativas em determinadas circunstâncias; os possíveis efeitos de acidentes envolvendo nossas aeronaves, e os efeitos do clima, desastres naturais e da sazonalidade sobre o nosso negócio; os efeitos de uma prolongada interrupção nos serviços prestados pelas transportadoras regionais de terceiros; a nossa capacidade de reter funcionários; condições de concorrência no setor aéreo; os efeitos da rápida propagação de doenças contagiosas e os efeitos de ataques terroristas.

Informações adicionais relativas a riscos e incertezas que poderiam causar diferenças entre os resultados reais e declarações prospectivas, incluindo nosso Relatório Anual no Formulário 10-K para o ano fiscal, foram encerradas em 31 de dezembro de 2014. É preciso tomar cuidado para não depositar confiança indevida em nossas declarações prospectivas, as quais representam nossos pontos de vista somente a partir de 14 de outubro de 2015 e que não temos nenhuma intenção de atualizar.

Related Topics:
Share