Nesta quarta-feira, 13 de abril, a Delta Air Lines anunciou os resultados financeiros do trimestre encerrado em março de 2022 e divulgou as perspectivas para o segundo trimestre do ano.
  • No primeiro trimestre de 2022, o prejuízo operacional GAAP foi de 783 milhões de dólares e o prejuízo por ação foi de 1,48 dólar na receita operacional total de 9,3 bilhões de dólares; 
  • No primeiro trimestre de 2022, o prejuízo operacional ajustado foi de 793 milhões de dólares e o prejuízo ajustado por ação foi de 1,23 dólar na receita operacional ajustada de 8,2 bilhões de dólares; 
  • Com o ambiente de demanda em melhora, a companhia alcançou uma sólida margem operacional no mês de março. 

A Delta Air Lines anunciou nesta quarta-feira, 13 de abril, os resultados financeiros do primeiro trimestre de 2022 e divulgou as perspectivas para o segundo trimestre deste ano.  

“Com uma forte recuperação da demanda conforme a variante ômicron retrocedeu, voltamos à lucratividade no mês de março, produzindo uma sólida margem operacional ajustada de quase 10%. À medida em que a preferência por nossa marca e a força da demanda crescem, estamos nos recuperando com sucesso em relação aos preços mais altos do combustível, impulsionando nossa perspectiva de uma margem operacional ajustada para entre 12% e 14% e com um forte fluxo de caixa livre no segundo trimestre deste ano”, disse o CEO da Delta, Ed Bastian. “Gostaria de agradecer os funcionários da Delta, que mais uma vez nos permitiram ter o melhor desempenho operacional da categoria, proporcionando uma inigualável experiência ao cliente e focados em continuar a impulsionar nossa liderança no setor todos os dias”. 

RESULTADOS FINANCEIROS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2022 

  • O prejuízo operacional ajustado de 793 milhões de dólares exclui um ganho líquido de 9 milhões de dólares; 
  • O prejuízo antes dos impostos foi de 1,2 bilhão de dólares, com prejuízo ajustado antes dos impostos de 1 bilhão de dólares, excluindo uma despesa líquida de 164 milhões de dólares;  A receita operacional ajustada de 8,2 bilhões de dólares, que exclui a venda de refinarias a terceiros, foi 79% recuperada em relação ao primeiro trimestre de 2019, em uma capacidade 83% restaurada; 
  • A despesa operacional total de 10,1 bilhões de dólares aumentou 679 milhões de dólares em comparação com o primeiro trimestre de 2019; 
  • Ajustada pelos custos principalmente da venda de refinarias a terceiros, a despesa operacional total de 9 bilhões de dólares diminuiu 400 milhões de dólares, ou 4%, no trimestre encerrado em março de 2022 em relação ao período comparável de 2019; 
  • Foram gerados 1,8 bilhão de dólares em fluxo de caixa operacional e 197 milhões de dólares em fluxo de caixa livre, após investimento de 1,6 bilhão de dólares no negócio, principalmente relacionado a compras e modificações de aeronaves; 
  • No fim do primeiro trimestre, a empresa tinha 12,8 bilhões de dólares em liquidez, incluindo caixa e equivalentes de caixa, investimentos de curto prazo e linhas de crédito rotativo não utilizadas. 

Leia o comunicado completo em PR Newswire ou via download.  

DECLARAÇÕES PROSPECTIVAS 

As declarações feitas neste comunicado de imprensa que não são fatos históricos, incluindo declarações sobre nossas estimativas, expectativas, crenças, intenções, projeções, metas, aspirações, compromissos ou estratégias para o futuro, devem ser consideradas “declarações prospectivas” sob a Lei de Valores Mobiliários de 1933, conforme alterado, da Lei de Mudanças de Valores Mobiliários de 1934, conforme alterado, e da Lei de Reforma de Litígios de Valores Mobiliários de 1995. As declarações não são garantia ou resultado prometidos e não devem ser interpretadas como tal. Todas as declarações prospectivas envolvem uma série de riscos e incertezas que podem fazer com que os resultados reais sejam materialmente diferentes das estimativas, expectativas, crenças, intenções, projeções, metas, aspirações, compromissos e estratégias refletidos ou sugeridos pelas declarações prospectivas. Esses riscos e incertezas incluem, mas não se limitam, ao efeito adverso relevante que a pandemia de COVID-19 teve em nossos negócios; o impacto de incorrer em dívidas significativas em resposta à pandemia; falha em cumprir as avenças financeiras e outras em nossos contratos de financiamento; os possíveis efeitos de acidentes envolvendo nossas aeronaves ou aeronaves de nossas companhias aéreas parceiras; violações ou lapsos na segurança dos sistemas de tecnologia nos quais confiamos; interrupções em nossa infraestrutura de tecnologia da informação; nossa dependência de tecnologia em nossas operações; nossas relações comerciais com companhias aéreas em outras partes do mundo e os investimentos que temos em algumas dessas empresas; os efeitos de uma interrupção significativa nas operações ou desempenho de terceiros nos quais confiamos; falha em alcançar o valor total dos ativos intangíveis ou de longa duração; questões trabalhistas; os efeitos do clima, desastres naturais e a sazonalidade em nossos negócios; o custo do combustível das aeronaves; a disponibilidade de combustível para aeronaves; falha ou incapacidade do seguro para cobrir uma responsabilidade significativa na refinaria Trainer, em Monroe; falha em cumprir com os regulamentos ambientais existentes e futuros aos quais as operações da refinaria em Monroe estão sujeitas, incluindo custos relacionados ao cumprimento dos regulamentos padrão de combustíveis renováveis; nossa capacidade de manter a alta administração e outros funcionários-chave, e para manter a cultura da nossa empresa; danos significativos à nossa reputação e marca, incluindo a exposição a publicidade adversa significativa; os efeitos de ataques terroristas, conflitos geopolíticos ou eventos de segurança; condições competitivas no setor aéreo; interrupções prolongadas ou interrupções no serviço nos principais aeroportos em que operamos ou problemas significativos associados aos tipos de aeronaves ou motores que operamos; os efeitos da extensa regulamentação governamental a que estamos sujeitos; o impacto da regulamentação ambiental em nossos negócios, incluindo o aumento da regulamentação para reduzir emissões e outros riscos associados às mudanças climáticas; e condições econômicas ou políticas desfavoráveis nos mercados em que operamos ou volatilidade nas taxas de câmbio. 

Informações adicionais sobre os riscos e incertezas que podem causar diferenças entre os resultados reais e as declarações prospectivas estão em nossos arquivos na Comissão de Bolsa e Valores, incluindo nosso Relatório Anual no Formulário 10-K para o ano fiscal encerrado em 31 de dezembro de 2021. Deve-se tomar cuidado para não confiar indevidamente em nossas declarações prospectivas, que representam nossas opiniões apenas na data deste comunicado de imprensa, e que não assumimos nenhuma obrigação de atualizar, exceto na medida exigida por lei. 

Related Topics:
Share