A Delta continua a trabalhar em estreita colaboração com as autoridades dos Estados Unidos após a diretiva do Presidente Trump sobre viagens entre a Europa e os Estados Unidos. De acordo com a diretiva, os estrangeiros que estiveram em qualquer um dos 26 países da área de Schengen nos últimos 14 dias não serão elegíveis para entrar nos Estados Unidos. Cidadãos norte-americanos, residentes permanentes legais e certos membros da família (e outras exceções limitadas) poderão entrar nos Estados Unidos através de um dos 11 aeroportos aprovados pelo CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças):*

  • Atlanta (ATL)
  • Dallas-Fort Worth (DFW)
  • Detroit (DTW)
  • Newark (EWR)
  • Honolulu (HNL)
  • Nova York-JFK (JFK)
  • Los Angeles (LAX)
  • Chicago-O’Hare (ORD)
  • Seattle (SEA)
  • São Francisco (SFO)
  • Washington-Dulles (IAD)

Como resultado, os seguintes voos operarão hoje, quinta-feira, retornarão na sexta-feira e, então, serão temporariamente suspensos.

  • Cincinnati-Paris
  • Indianápolis-Paris
  • Orlando-Amsterdã
  • Portland-Amsterdã
  • Raleigh / Durham-Paris
  • Salt Lake City-Amesterdã
  • Salt Lake City-Paris

O Departamento de Estado dos Estados Unidos também emitiu orientações atualizadas na quarta-feira, recomendando que os americanos “Reconsiderem Viajar Para o Exterior” devido ao COVID-19.

A Delta continua avaliando ajustes adicionais na programação de voos com base na demanda do cliente. Mais detalhes serão compartilhados o mais rápido possível.

A Delta seguirá cuidando dos clientes que podem ser afetados por essas restrições de viagem. A companhia está limitando as tarifas para viagens à Europa e também renunciou às taxas de alteração para clientes que viajam para, da ou através da Europa e do Reino Unido até 31 de maio. Os detalhes estão disponíveis em delta.com.

A segurança e a saúde de nossos clientes e funcionários são sempre nossa maior prioridade. Informações abrangentes sobre a resposta da Delta ao vírus COVID-19 estão disponíveis aqui.

Related Topics:
Share