A Delta vai parar de usar aeronaves MD-88 e MD-90 antes do planejado anteriormente, com os dois modelos saindo da frota em junho de 2020. O cronograma de aposentadoria acelerada de ambos aviões é resultado da pandemia de COVID-19, uma vez que a companhia diminuiu a capacidade em todo o sistema. A Delta reduziu sua frota ativa geral à cerca de metade, estacionando mais de 600 aeronaves principais e de uso regional nos últimos dois meses.

A empresa conseguiu reagir rapidamente à crise da COVID-19, estacionando aviões e considerando a aposentadoria antecipada de modelos mais antigos e menos eficientes.

A previsão anterior era desativar os MD-88, com 149 lugares a bordo, até o final de 2020. Em fevereiro deste ano, antes da redução da frota ocasionada pelo coronavírus, havia 47 MD-88 e 29 MD-90 em operação.

Ambas as aeronaves eram usadas em grande parte da rede doméstica da Delta e foram peças fundamentais para as operações da companhia aérea.

A Delta continua avaliando seu plano de frota mais amplo e considerará a aposentadoria de aeronaves adicionais para se concentrar em uma frota moderna e mais simplificada no futuro.

Related Topics:
Share