Com as restrições de viagens promulgadas por muitos países por conta da COVID-19, as equipes da Delta estão trabalhando diligentemente para ajudar norte-americanos e cidadãos de outros países a voltarem para casa.

Na semana passada, o aeroporto de Manila, nas Filipinas, foi palco de uma enorme operação de transporte aéreo, com a equipe da Delta embarcando cerca de 1.500 clientes em voos para Salt Lake City. Cinco aeronaves de grande porte foram fretadas para a operação – entre elas, Boeing 777, Airbus A350 e A330-900 –, o maior procedimento com jatos grandes que a Delta já realizou no aeroporto de Manila em um único dia. Os voos pararam brevemente em Tóquio antes de seguir para Salt Lake City.

A equipe da Delta em Salt Lake City colaborou estreitamente com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos e com o Escritório de Alfândega e Proteção de Fronteiras do país, assim como com o Departamento de Saúde de Utah e o Departamento de Aeroportos de Salt Lake City, para garantir que a instalação estivesse preparada para receber os voos e lidar com qualquer condição de rastreio sanitário necessário na chegada.

"Ajudar os viajantes a chegar em casa é uma das maneiras mais importantes com as quais as companhias aéreas podem colaborar em tempos de crise", disse Bill Wernecke, Diretor Geral de Operações Charter da Delta. "Nossas equipes em toda a empresa estão trabalhando rápida e estreitamente com o Departamento de Estado dos Estados Unidos para oferecer viagens para os norte-americanos que tentam retornar ao país e ajudar a repatriar outros passageiros que desejam voltar às suas nações de origem".

Ao todo, a Delta operou 16 fretamentos particulares para países como Argentina, Chile, El Salvador, Guatemala, Itália, Coreia do Sul e Filipinas para ajudar a repatriar quase 4.000 norte-americanos. E estão em andamento mais serviços desse tipo, incluindo voos da Argentina, Austrália, Índia, México e Nigéria, que levarão para casa quase 2.400 norte-americanos.

A companhia também operou voos especialmente autorizados da América Latina, Caribe e África para embarcar cidadãos norte-americanos após proibições e restrições impostas pelos governos.

Além disso, as equipes de Assuntos Governamentais e Fretamentos da Delta estão ajudando 135 bermudenses a retornarem para suas casas, além de 100 cidadãos da República Dominicana, num voo de Nova York a Santo Domingo. A empresa também transportou recentemente 53 chilenos dos Estados Unidos de volta a Santiago.

À medida que as restrições se estendem e mudam, a Delta continua a trabalhar em estreita colaboração com o Departamento de Estado norte-americano e outros órgãos para determinar como a companhia pode ajudar em futuras missões de repatriamento em todo o mundo.

Related Topics:
Share