Os voos da Delta Air Lines entre os Estados Unidos e a Itália com passageiros testados para COVID foram abertos a todos os clientes em 16 de maio, após o governo italiano suspender as restrições de entrada, permitindo que norte-americanos que viajam a lazer visitem o país pela primeira vez em mais de um ano.

“A Delta foi a primeira companhia aérea dos Estados Unidos a lançar um serviço sem quarentena para a Itália, e nossas rotas com pessoas testadas para a COVID provaram ser um meio viável para reiniciar as viagens internacionais com segurança”, disse o vice-presidente executivo e presidente Internacional da Delta, Alain Bellemare. “É encorajador que o governo italiano tenha dado esse passo para reabrir o país aos viajantes de lazer norte-americanos que embarcam em nossos voos com protocolos dedicados, apoiando ainda mais a recuperação econômica da pandemia global”.

Atualmente, os clientes têm várias opções de serviços diretos com testagem para a COVID com destino à Itália, incluindo:

  • Voo cinco vezes por semana entre Atlanta e Roma, que se tornarão diários em 26 de maio;
  • Serviço diário entre Nova York-JFK e Milão;
  • Três frequências semanais de JFK a Roma, que passarão a ser diárias em 1º de julho.

Além disso, a companhia lançará mais três rotas diretas neste verão (do Hemisfério Norte*): Nova York-JFK para Veneza em 02 de julho, bem como de Atlanta para Veneza e de Boston para Roma em 05 de agosto, tornando a Delta a maior transportadora entre os Estados Unidos e a Itália. Todos os voos da Delta para o país europeu são operados em conjunto com a parceira Alitalia.

Os serviços existentes para Roma e Milão continuarão sendo operados com o Airbus A330-300 de 293 assentos, enquanto as demais rotas serão realizadas por aviões Boeing 767-300 de 226 lugares. Todas as aeronaves contam com serviço nas cabines Delta One (cujas poltronas reclinam totalmente para virar cama), Delta Comfort+ e Main Cabin e estão equipadas com Wi-Fi e telas pessoais com opções gratuitas de entretenimento de alto nível.

Para embarcar nos voos da Delta dos Estados Unidos à Itália, todos os clientes devem obrigatoriamente fazer o exame para COVID-19 , antes da partida e na chegada, independentemente de seu status de vacinação. Depois de receber um resultado negativo, essas pessoas não precisarão fazer quarentena no país europeu e podem prosseguir com suas viagens.

A Itália é o quarto destino na Europa que a Delta disponibilizará aos viajantes de lazer neste verão (do Hemisfério Norte*), depois da Islândia e da Grécia (a partir de 28 de maio), onde se pode chegar de vários aeroportos norte-americanos. A companhia também está oferecendo pela primeira vez o serviço entre Dubrovnik, na Croácia, e Nova York-JFK, a partir de 02 de julho.

A Delta está proporcionando aos clientes ainda mais maneiras de retomar a alegria de viajar, tudo sustentado por nossos esforços de saúde e segurança apoiados pela ciência. Saiba mais sobre o que a companhia está fazendo para facilitar o planejamento de suas próximas viagens e gerenciar as restrições de entrada em seu país de destino, bem como para ajudá-lo a ganhar o status Medallion.

As datas de início dos voos estão sujeitas a alteração em virtude da demanda e das restrições de viagens em evolução.

*Notas do editor.

Share