Desde o meio de março, a Delta já ajudou a repatriar para os Estados Unidos mais de 28 mil pessoas que estavam longe de casa em virtude das restrições de viagem trazidas pela COVID-19.

Muitas equipes da Delta, incluindo Atendimento ao Cliente no Aeroporto, Fretamentos, Operações de Voo, Vendas Globais, Assuntos Governamentais e Serviços de Bordo, estão trabalhando juntos para enfrentar os desafios advindos dessas restrições.

A Delta está coordenando com o Departamento de Estado norte-americano e com governos estrangeiros para receber as aprovações adequadas antes de realizar os voos. Em função desse esforço conjunto, a empresa conseguiu planejar e operar mais de 100 fretamentos para cerca de 20 países e territórios, incluindo Argentina, Austrália, Bermudas, Chile, Coreia do Sul, El Salvador, Filipinas, Guatemala, Índia, Itália, México, Nigéria e República Dominicana. O pessoal da Delta também tem prestado assistência em solo para fretamentos operados por outras companhias aéreas, auxiliando nas chegadas da EgyptAir, Ethiopian Airlines, Fiji Airways e LATAM, parceira da Delta.

"A Delta tem um papel importante a desempenhar na resposta à COVID-19, desde voos para profissionais médicos até a

Repatriation Flight Staff

repatriação de cidadãos que foram deslocados", disse Bill Wernecke, Diretor Administrativo de Operações de Fretamento da Delta. "Nas últimas quatro semanas, trouxemos mais de 28 mil pessoas e continuaremos a trabalhar com o governo e nossos clientes para ajudar os cidadãos a chegarem em casa com segurança no meio dessa crise sem precedentes".

A equipe da Delta em Salt Lake City lidou com muitos vos fretados nas últimas semanas, incluindo 27 aeronaves internacionais que transportaram pessoas desde a África, Ásia, América do Sul e Pacífico Sul de volta aos Estados Unidos. A equipe da rampa (que trabalha na área do aeroporto onde as aeronaves são estacionadas, carregadas/descarregadas, abastecidas ou encaminhadas), a qual inclui transportadores de bagagem e operadores de equipamentos de serviço em solo, manipulou uma média de 650 malas por voo fretado, e o Centro de Coordenação de Aeroportos organizou um fluxo de aeronaves que nunca haviam sido vistas no hub de Salt Lake City, entre elas os modelos A350, A330-900neo e Boeing 777.

Outros serviços de repatriação estão programados e em andamento, incluindo dois voos desde Havana, Cuba, previstos para sexta-feira, 24 de abril, assim como a oitava viagem a partir de Mumbai, Índia, em 30 de abril. À medida que as restrições se estendem e mudam, a Delta continua a trabalhar em estreita colaboração com o Departamento de Estado norte-americano e outros órgãos para determinar como isso pode ajudar em futuras missões de repatriamento em todo o mundo.

Related Topics:
Share