Seguindo uma nova determinação dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês*), a Delta está ajudando clientes em todo o mundo a encontrar endereços aprovados para a realização de testes de COVID-19 antes de sua viagem aos Estados Unidos. A partir de 26 de janeiro de 2021, todos os viajantes com mais de dois anos que entrarem ou estiverem em trânsito no país, vindos de qualquer local fora do território norte-americano, devem apresentar um resultado negativo no teste viral, o qual deve ser feito três dias antes da partida.

A Delta desenvolveu um recurso dedicado à testagem para COVID-19, disponível no site delta.com, que destaca os lugares em nossa rede internacional que oferecem um ou mais tipos dos testes aprovados. Os passageiros também podem usar qualquer laboratório ou provedor de teste que ofereça um dos seguintes exames: teste molecular, teste de amplificação de ácido nucleico (NAAT), teste RT-PCR, teste LAMP ou teste de antígeno. Testes de anticorpos não são aceitos. Para aqueles que fazem conexão nos Estados Unidos, a prova deve ser realizada no prazo de três dias anteriores ao voo inicial e o tempo de conexão não deve exceder 24 horas.

“Estamos concentrados na criação de soluções inovadoras para nossos clientes e desenvolvemos uma nova ferramenta online que tornará mais fácil para eles encontrarem laboratórios aprovados em locais convenientes antes do embarque para os Estados Unidos”, disse o vice-presidente sênior de Alianças e Internacional, Perry Cantarutti. “Em conjunto com esse recurso, estamos trabalhando com nossos parceiros de aliança em todo o mundo para também considerar seus provedores locais de testes como mais uma forma de ajudar nossos clientes enquanto o pedido do CDC vigorar”.

Todos os viajantes também devem assinar um atestado certificando que receberam um resultado negativo antes de voar, e eles são incentivados a preencher o formulário com antecedência e trazer o documento assinado ao aeroporto, embora cópias estejam disponíveis no check-in. Terá o embarque negado qualquer pessoa que não apresentar um resultado negativo ou não atender a critérios de isenção específicos, como a recuperação recente em relação à COVID-19 garantida por meio de uma carta de um provedor de saúde ou de uma autoridade de saúde pública informando que o requerente está autorizado a viajar. O Reconhecimento de Saúde da Delta, que exige que os clientes esperem pelo menos 14 dias a partir do recebimento de um resultado de teste positivo antes de iniciar a viagem, também se aplica.

Todos as pessoas que voarem com a Delta devem continuar a seguir as exigências de entrada para viagens internacionais e são aconselhadas a verificá-las antes da partida. A companhia também emitiu uma isenção permitindo que os clientes façam uma nova reserva em voos internacionais para os Estados Unidos adquiridos até 12 de janeiro para viagens a serem realizadas até 16 de fevereiro, se a nova data de embarque for em ou antes de 1º de fevereiro.

Para obter mais informações sobre os requisitos do CDC, clique aqui.

Desde o início da pandemia, no ano passado, a Delta implementou uma série de iniciativas abarcadas pelo programa Delta CareStandard. Entre elas estão o bloqueio dos assentos do meio até 30 de março de 2021, exigência do uso de máscaras durante toda a experiência de viagem e fornecimento de kits de cuidados pessoais e desinfetante para as mãos a bordo.

*Nota do editor.

Related Topics:
Share