Os clientes da Delta com necessidades essenciais de viagem agora podem voar de Atlanta a Amsterdã sem precisar ficar em quarentena após a chegada, e sabendo que seus companheiros de viagem e tripulantes apresentam resultado negativo para COVID-19 após passar por protocolos pré-voo.

A frequência desta terça-feira (15 de dezembro*) testada para COVID, e sem quarentena após o desembarque, é a primeiro das duas que a transportadora global está lançando esta semana, uma vez que também haverá uma opção de Atlanta para Roma começando no sábado, dia 19.

“As viagens aéreas são a espinha dorsal da economia global. Em tempos normais, elas sustentam mais de 87 milhões de empregos e contribuem com US$ 3,5 trilhões no PIB mundial”, disse o vice-presidente sênior de Alianças e Internacional da Delta, Perry Cantarutti. “A chegada de uma vacina é uma notícia fantástica, mas vai demorar para se tornar amplamente disponível em todo o mundo. É por essa razão que trabalhamos incansavelmente com as autoridades e nossos parceiros para criar um plano para corredores de transporte que permitirão que as viagens aéreas sejam retomadas com segurança”.

A Delta é a primeira companhia aérea dos Estados Unidos a oferecer voos sem COVID e sem quarentena entre o país e a Europa, o que permite aos passageiros evitar a quarentena após um resultado negativo para o vírus antes da viagem e na chegada à Holanda e à Itália.

Os voos testados para COVID com destino a Amsterdã são operados em conjunto com a parceira transatlântica da Delta, KLM, e partirão quatro dias por semana, com ambas as companhias voando com duas frequências cada. A Delta, por sua vez, oferecerá rotas para Roma três vezes por semana. Esses voos são claramente identificados no processo de reserva do Delta.com para que os clientes possam ver quais opções exigem o novo processo de testagem.

Ambos os programas de teste estarão disponíveis para todos os cidadãos autorizados a viajar para a Holanda ou a Itália por razões essenciais, como por motivos específicos de trabalho, saúde e educação. Os clientes que estão em trânsito via Amsterdã para outros países ainda deverão seguir os requisitos de entrada e qualquer quarentena obrigatória que esteja em vigor em seu destino final. 

Clique aqui para ver fotos desse lançamento na rota ATL-AMS.

Sobre o processo de testagem entre Atlanta e Amsterdã  

Aqueles que viajam para Amsterdã devem testar negativo em um exame do tipo PCR feito cinco dias antes da chegada à cidade, bem como em um teste rápido no aeroporto de Atlanta antes do embarque. Um segundo exame PCR será realizado ao desembarcar no Aeroporto de Schiphol e, uma vez que o resultado negativo for recebido, os clientes não precisarão entrar em quarentena. Os dois testes de aeroporto estão incluídos no preço do bilhete.

Sobre o processo de testagem entre Atlanta e Roma  

Os passageiros que viajam para Roma devem apresentar um exame PCR negativo 72 horas antes da partida programada, bem como um teste rápido negativo no aeroporto de Atlanta antes do embarque. Um segundo teste rápido será realizado na chegada a Roma-Fiumicino e, se negativo, nenhuma quarentena é necessária.

A Delta continua a colocar a segurança e a saúde no centro de tudo o que faz. Por meio do Delta CareStandard (Padrão Delta de Atendimento*), a companhia implementou mais de 100 iniciativas de segurança e limpeza em toda a sua operação, com base em percepções importantes de especialistas da Mayo Clinic, Purell, Emory University e Lysol. Isso inclui o bloqueio dos assentos do meio até 30 de março de 2021, a garantia da utilização obrigatória de máscara e a limpeza eletrostática das cabines antes de cada voo, entre outras ações.

A Delta se tornará também a primeira companhia aérea dos Estados Unidos a fazer parceria com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças para manter os clientes internacionais informados sobre uma exposição potencial à COVID-19 por meio do rastreamento de contato.

*Notas do editor.

Share