Em homenagem aos protestos de junho de 1969 em Stonewall, em Manhattan, que serviram de catalisador para o movimento LGBTQ + em todo o mundo, junho ficou conhecido como Mês do Orgulho – uma celebração de amor, diversidade, aceitação e amor próprio das comunidades LGBTQ+ e seus aliados em todo o mundo.

Este ano, as celebrações do Mês do Orgulho LGBTQ+ parecem um pouco diferentes, pois ocorrem quando o mundo está vivendo sob os efeitos da pandemia da COVID-19 e em que há uma resposta global crescente à desigualdade e injustiça raciais.

Apesar das festividades mais tímidas devido à pandemia, o movimento LGBTQ+ é maior do que nunca, especialmente à luz da recente decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos de que o Título VII da Lei dos Direitos Civis de 1964 também protege os funcionários da discriminação com base na orientação sexual e no status de transgêneros.

“Celebrar o orgulho em casa é muito diferente, mas sinto que estamos mais conectados pela internet do que pessoalmente... Hoje, vemos a injustiça social sendo combatida e a ascensão do movimento #BlackLivesMatter, e muitas pessoas esquecem que o Orgulho LGBTQ+ também começou como resultado de protestos ”, disse Samuel Peraza, da Delta, em um artigo recente da AJC. “Ser capaz de celebrar o orgulho virtualmente este ano tem sido uma maneira de nos educar sobre os homossexuais BIPOC (sigla em inglês para “negro, indígena e pessoa de cor”) e como melhor apoiá-los e defendê-los. Isso tem sido especialmente comovente”.

Após as mortes de Riah Milton e Dominique “Rem’mie” Fells – duas mulheres transgênero negras que foram mortas na semana passada –, os advogados continuam a destacar as injustiças sofridas pela comunidade LGBTQ + e pelas comunidades afrodescendentes.

Em uma carta compartilhada pelo Grupo de Recursos Empresariais LGBTQ+ da Delta, EQUAL, a equipe de liderança observou que “o Mês do Orgulho é um momento em que mostramos nossa unidade e apoio mútuo, comemorando nossas diferenças e nossa determinação de viver em um mundo onde amor, bondade e esperança se elevam acima de tudo”.

A Delta, defensora de longa data da comunidade LGBTQ+, reconhece que ainda temos um longo caminho a percorrer em direção à igualdade e está comprometida com o uso de todos os meios que temos para levar o mundo a um futuro melhor e mais justo.

“Estamos nos concentrando na interseção entre nós da comunidade LGBTQ+ e nossos aliados e o que podemos fazer para apoiar o Orgulho LGBTQ+ na nova realidade. O Orgulho, em sua essência, é celebrar quem você é”, disse Michael Thomas, diretor de Comunicações da EQUAL.

Na semana passada, o CEO da Delta, Ed Bastian, e mais de 50 CEOs da Geórgia assinaram uma carta, liderada pela Câmara Municipal de Atlanta, pedindo à Assembleia Geral que aprove e assine uma lei abrangente, específica e clara contra crimes de ódio. Isso incluiria proteções para as vítimas escolhidas com base em sua raça, cor, religião, origem, gênero, orientação sexual ou deficiência, que merecem justiça. Graças à defesa da organização BOLD, o braço do Grupo de Recursos Profissionais voltado aos funcionários afrodescendentes da Delta, a companhia conseguiu entrar cedo nessa importante missão.

“Como muitos de vocês, passei por muitas emoções nos últimos meses. Então, pensei comigo: como falar com minha família EQUAL sobre o orgulho quando minha família BOLD está lutando apenas para ser respeitada”, disse Tonie Tobias, vice-presidente da EQUAL. “Então, vi as notícias sobre a decisão da Suprema Corte e o esforço da nossa família Delta em ajudar a promover a lei do crime de ódio na Geórgia, com nosso líder Ed liderando o caminho. Essas coisas renovaram meu senso de orgulho e me lembraram que, enquanto estivermos vivos, temos esperança e juntos podemos fazer uma mudança”.

Em 1º de junho, os membros EQUAL da Delta ergueram a bandeira do arco-íris para marcar o início do Mês do Orgulho LGBTQ+ em todo o mundo. Durante esse período, a Delta está incentivando todos os funcionários a celebrar a comunidade LGBTQ+ e promover a inclusão, o respeito pelas diferenças, a igualdade de oportunidades e a diversidade no ambiente de trabalho.

 

Tópicos Relacionados: Orgulho; Diversidade; Grupos de Recursos Profissionais; Ed Bastian

Share