A reabertura impacta positivamente 33 países em todo o mundo, com a Delta atendendo 10 deles com voos diretos e os demais por meio de seus hubs globais em conexão com seus parceiros

Notas do editor:

Em virtude do movimento crescente nos aeroportos e a verificação dos documentos exigidos para entrada nos Estados Unidos, é recomendável chegar ao aeroporto com pelo menos três horas de antecedência ao embarque.

Atualmente, no Brasil, a Delta opera voos diários e diretos entre o Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, e Atlanta, onde os viajantes podem fazer conexão para destinos em todo o mundo. Com a reabertura das fronteiras dos Estados Unidos para viajantes internacionais vacinados, a retomada dos voos da Delta entre os aeroportos de São Paulo e Nova York-JFK foi antecipada: em vez de voltarem em fevereiro de 2022, os voos estão programados para se iniciarem em 19 de dezembro, inicialmente com três frequências semanais, que passarão a quatro voos entre 21 de fevereiro e 26 de março de 2022 e para cinco vezes por semana entre 27 de março e 29 de maio de 2022. E a companhia espera retomar o serviço entre o Rio de Janeiro e Atlanta em 18 de fevereiro de 2022.

Conforme os Estados Unidos reabrem para os viajantes internacionais vacinados, a Delta Air Lines voltará a reunir famílias e amigos que estiveram separados nos últimos 20 meses. Nas seis semanas desde que a reabertura dos Estados Unidos foi anunciada, a Delta viu um aumento de 450% nas reservas em pontos de venda internacionais em comparação com as seis semanas anteriores ao anúncio. Espera-se que muitos voos internacionais operem com 100% de sua capacidade na segunda-feira, 08 de novembro, com altas taxas de ocupação nas semanas seguintes.

A reabertura impacta positivamente 33 países em todo o mundo, com a Delta atendendo 10 deles com voos diretos e os demais por meio de seus hubs globais em conexão com seus parceiros, incluindo Air France, KLM e Virgin Atlantic. A forte demanda se reflete em viajantes de lazer e negócios para destinos populares como Nova York, Atlanta, Los Angeles, Boston e Orlando. No total, a companhia operará 139 voos a partir de 55 destinos internacionais em 38 países, que aterrissam nos Estados Unidos em 08 de novembro oferecendo mais de 25 000 assentos.

“Hoje é o início de uma nova era para as viagens e para muitas pessoas ao redor do mundo, que não conseguem ver seus entes queridos há quase dois anos”, disse o CEO da Delta, Ed Bastian. “Embora tenhamos visto muitos países reabrir suas fronteiras para visitantes norte-americanos durante o verão (do Hemisfério Norte*), nossos clientes internacionais não puderam voar conosco ou visitar os Estados Unidos. Tudo isso muda hoje. Agradecemos ao governo dos Estados Unidos por suspender as restrições de viagens e estamos ansiosos para reunir famílias, amigos e colegas nos próximos dias e semanas”.

O voo DL106, de São Paulo para Atlanta, será o primeiro voo internacional da Delta a pousar nos Estados Unidos sob as novas regras na segunda-feira, dia 08, às 09:35, com dezenas de outros logo atrás.

Conforme a confiança das pessoas nas viagens retorna, a Delta está aumentando os voos neste inverno (do Hemisfério Norte*) nas principais cidades europeias, incluindo Londres-Boston, Detroit e Nova York-JFK; Amsterdã-Boston; Dublin-Nova York-JFK; Frankfurt-Nova York-JFK; e Munique-Atlanta.

Atlanta, que tem o principal aeroporto da Delta, continua sendo o hub internacional mais movimentado da companhia, com 56 partidas diárias para 39 destinos internacionais. Ela é seguida de perto pela cidade mais visitada dos Estados Unidos, Nova York-JFK, que tem 28 partidas diárias para 21 cidades internacionais.

A marcante reabertura também proporcionará um impulso para as economias globais, ao mesmo tempo em que pontua o início da retomada dos negócios internacionais da Delta. A companhia informou neste verão (do Hemisfério Norte*) que seu segmento de lazer doméstico dentro dos Estados Unidos já se equiparou aos níveis de 2019, mas as restrições de fronteira em curso impediram uma recuperação significativa em todo o mundo. As viagens internacionais para os Estados Unidos contribuíram com 234 bilhões de dólares em receitas de exportação para a economia local, geraram um superávit comercial de 51 bilhões de dólares e mantiveram diretamente 1,2 milhão de empregos no país em 2019**.

Exigências de entrada

Os estrangeiros terão permissão para entrar nos Estados Unidos apresentando comprovação de vacinação e um teste de COVID-19 com resultado negativo feito com antecedência de três dias à partida. Cidadãos estrangeiros não vacinados podem entrar nos Estados Unidos apenas se atenderem aos critérios de exceções muito limitados e se comprometerem com os testes pós-chegada, quarentena e vacinação. Os clientes também devem fornecer detalhes para atender aos requisitos de rastreamento de contato nos Estados Unidos. Mais informações sobre as exigências de entrada estão disponíveis no Centro de Planejamento de Viagens da Delta e por meio dos recursos oficiais do governo norte-americano.

Todos os clientes com idade igual ou superior a dois anos devem usar uma cobertura facial durante toda a viagem, ao passo que as medidas de limpeza aprimoradas da Delta também permanecem em vigor. Isso inclui limpeza regular e desinfecção de áreas de alto contato a bordo de aeronaves e nos aeroportos, bem como aspersão eletrostática no interior dos aviões com um desinfetante de alto qualidade para garantir que nenhuma superfície passe despercebida.

Tornando as viagens internacionais mais fáceis

Para ajudar os passageiros a entender os requisitos de entrada, novas melhorias estão chegando ao site delta.com e ao aplicativo Fly Delta este mês. Entre elas estão:

  • Gerenciamento mais fácil das exigências de entrada com o uso do Delta FlyReady, a solução digital da companhia desenvolvida para verificar automaticamente a documentação de saúde exigida pelo governo. A partir de 08 de novembro, os clientes em quase todas as rotas internacionais com destino aos Estados Unidos podem usar o Delta FlyReady para ali fazer o upload e verificar diretamente o status do comprovante de vacinação. Assim que os requisitos forem atendidos, um indicador no cartão de embarque dos viajantes atestará se eles estão prontos para partir***;
  • Uma experiência renovada no mapa Delta Discover, com tecnologia Smartvel, que permitirá aos clientes filtrar convenientemente os destinos com base nas exigências de saúde, incluindo o status de vacinação, para uma visão mais personalizada por parte do cliente.
The Eiffel Tower
Article
Delta is simplifying COVID-19 vaccine and other related entry requirements during booking, check-in and beyond with new experiences on delta.com.

*Notas do editor.

**Dados da US Travel Association.

***Os clientes que usam o Delta FlyReady ainda devem trazer consigo cópias impressas do resultado de teste de COVID e outros documentos exigidos no dia da viagem, de modo a atender aos requisitos em vigor em determinados destinos. O status Delta FlyReady não é aceito no lugar de outra documentação exigida pelo governo.

Share