Skip to main content

Delta News Hub Logo

30 de julho é reconhecido pelas Nações Unidas como o Dia Mundial Contra o Tráfico de Pessoas, e a Delta fornece orientações a funcionários e clientes para que eles façam parte da luta contra o tráfico de seres humanos.

Como líder da luta contra o tráfico de pessoas desde 2011, a companhia escolheu essa data para aumentar a conscientização sobre esse crime de rápida expansão, que ocorre tanto no solo quanto durante os voos. Esta semana, as equipes de voo estão fazendo anúncios a bordo, chamando a atenção dos clientes para o vídeo antitráfico de pessoas da Delta, convidando os passageiros a assumir uma posição nessa luta.

“Segundo estimativas, 71% das vítimas de tráfico de pessoas relataram que foram recrutadas durante um voo, então é nosso dever responder com muita coragem”, disse Allison Ausband, vice-presidente sênior de serviços a bordo e patrocinador executivo da campanha #GetOnBoard. “Hoje, temos a oportunidade de falar, agir e continuar nosso compromisso de acabar com a escravidão nas cidades onde vivemos, voamos e servimos.”

Até agora, a Delta treinou 66 mil de seus 80 mil funcionários para detectar sinais de tráfico de pessoas. Veja abaixo seis medidas que os clientes podem tomar para ajudar nessa luta:

  1. Preste atenção aos sinais de tráfico de pessoas

Reconhecer os sinais do tráfico de pessoas pode salvar vidas. A Polaris fez uma lista com indicadores de tráfico de pessoas, que inclui:

  • Se o indivíduo está com medo, tenso, deprimido ou submisso
  • Se a vítima apresenta comportamento atipicamente medroso ou ansioso ao passar pela fiscalização
  • Sinais de uso ou abuso de substâncias
  • Condições ruins de higiene, desnutrição e/ou fadiga
  • Se a vítima tem poucos objetos pessoais, ou nenhum
  • Se a vítima está sob vigilância constante
  • Se a vítima não tem dinheiro, não se identifica quando solicitado, nem tem liberdade para se comunicar

Vários indicadores aparecem nos cenários de tráfico de pessoas. A Delta incentiva a todos aprenderem sobre esses sinais, para que possam ser denunciados à National Human Trafficking Hotline, uma linha direta criada especialmente para receber essas denúncias.

  1. Salve em seu telefone o número da National Human Trafficking Hotline

A linha direta oferece acesso seguro 24 horas por dia para denunciar sinais, procurar serviços e pedir ajuda. Em 2017, a Delta apoiou a linha direta, doando US$ 1 milhão e, desde então, houve aumento de 19% nas chamadas.

O acesso à National Human Trafficking Hotline é por telefone 1-888-373-7888 ou mensagem de texto para Polaris no número 233733.

  1. Pressione as autoridades para que criem uma legislação antitráfico

Nos últimos anos, a Delta tem pressionado as autoridades com sucesso para que sejam criadas leis contra o tráfico que protejam os sobreviventes localmente e nacionalmente. Atualmente, a companhia apoia o GA House Bill 234, a Lei de Resposta Protetora ao Tráfico de Pessoas. Além disso, a Delta fez uma parceria com Seattle em uma campanha de conscientização no Noroeste do Pacífico, e os funcionários também vão regularmente a Washington para fazer contato com os membros do Congresso e lutar por uma legislação que apoie os sobreviventes. Esses esforços foram recentemente reconhecidos pela Câmara do Comércio dos Estados Unidos.

Com o apoio da empresa, 2019 é ano histórico para a legislação de tráfico de pessoas na Geórgia. Três projetos importantes tornaram-se leis: SB 158, HB 281 e HB 424, e agora protegem as crianças e processam os traficantes.

Em escala nacional, a Polaris criou um abaixo-assinado pedindo que o Congresso aprove uma legislação que ajude a encontrar e penalizar os traficantes. Para assinar, clique aqui.

  1. Forneça apoio

Existem muitas comunidades que lutam para aumentar a conscientização sobre o tráfico de pessoas e muitos sobreviventes que precisam de ajuda. A Polaris criou redes de apoio global e oferece meios para que pessoas do mundo todo possam ajudar. Para fazer parte desse trabalho, clique aqui.

  1. Doe milhas aos sobreviventes por meio do SkyWish

Todos os membros da Delta SkyMiles podem doar milhas à Polaris por meio do nosso programa SkyWish no delta.com que são convertidas em passagens aéreas para que os sobreviventes voltem para casa, serviços essenciais, encontro com suas famílias ou ainda como apoio para que participem de oportunidades de liderança de sobreviventes.

  1. Apoie condições de trabalho digno para acabar com o trabalho forçado

As vítimas de tráfico de pessoas geralmente ficam presas em trabalhos forçados. Segundo estimativas da Organização Internacional do Trabalho, existem 20,1 milhões de pessoas vítimas de exploração e tráfico de mão de obra em setores que incluem agricultura, construção, trabalho doméstico e produção em todo o mundo.

A política antitráfico da Delta define o compromisso da companhia aérea com a responsabilidade social em todas as suas operações, incluindo o processo de contratação estratégica de fornecedores, que define como a Delta seleciona seus fornecedores, garantindo sua conformidade com os nossos padrões. O pessoal da Delta pode participar da luta contra o tráfico de mão de obra, tomando decisões na contratação que apoiam condições de trabalho digno.

Neste dia 30 de julho, a Delta continua atuando como uma voz poderosa na luta contra o tráfico de pessoas e apoiando os sobreviventes. A Delta oferece programas para sobreviventes do tráfico humano, onde eles recebem orientações e apoio para buscar um futuro de sucesso. A Delta criou oportunidades de aprendizado para quatro sobreviventes; um deles se tornou funcionário em tempo integral da companhia aérea.

 

Português (Portuguese)