Uma iniciativa transformadora foi lançada com a formação da Americans for Clean Aviation Fuels, da qual a Delta é membro fundador.

Uma iniciativa transformadora foi lançada com a formação da Americans for Clean Aviation Fuels (ACAF, na sigla em inglês, ou Norte-Americanos por Combustíveis Limpos para a Aviação, em tradução livre*), da qual a Delta é membro fundador. A ACAF é uma coalizão diversificada dos maiores setores industriais dos Estados Unidos, dos agricultores aos produtores de combustível e da aviação à agroindústria, com o objetivo de promover os benefícios econômicos da construção de um mercado robusto para o SAF e outros combustíveis de aviação limpos. Os membros fundadores incluem Delta, Airbus, Corteva Agriscience, Exxon Mobil, Growth Energy, National Business Aviation Association e Midwest Soybean Collaborative (incluindo as Associações de Soja de Indiana, Iowa, Missouri e Ohio).

“Construir o mercado para o SAF e outros combustíveis de aviação limpos tem benefícios que vão muito além de sua importância na pegada climática e ambiental”, disse a vice-presidente de Assuntos Governamentais da Delta – Sustentabilidade, Cherie Wilson. “A produção em larga escala de SAF pode torná-lo o combustível que ajuda a impulsionar o motor econômico dos Estados Unidos, criando empregos bem remunerados nos setores de agricultura, produção de matéria-prima, geração de energia, construção e indústria”.

Em um relatório recente do Air Transport Action Group, estima-se que, só com a mudança para o SAF, poderão ser criados ou mantidos até 14 milhões de postos de trabalho em nível mundial. Desses, 1,4 milhão de posições seriam criadas nas próprias instalações de produção, enquanto 12,6 milhões estariam na construção desses espaços, na coleta de matérias-primas e na cadeia de suprimentos.

O SAF é a alavanca mais promissora que se conhece atualmente para acelerar o progresso em direção a um futuro de emissões zero, podendo utilizar a infraestrutura de combustível existente para chegar aos aeroportos, além de ser seguro para uso nos atuais motores das aeronaves. É importante salientar que a utilização de SAF pode reduzir as emissões do ciclo de vida em até 80%, com potencial para maiores reduções de emissões utilizando práticas agrícolas regenerativas, energias renováveis no local e outras práticas.

Infelizmente, não há SAF suficiente hoje para abastecer as companhias aéreas comerciais do mundo nem por um único dia e, atualmente, seu custo seria de 2 a 4 vezes mais alto do que o combustível de aviação convencional. Além de investir em SAF para sua própria frota, a Delta continua a desenvolver e formar parcerias e coalizões importantes em todos os setores para demonstrar a demanda, atrair investimentos e defender incentivos políticos para ampliar o mercado de SAF.

“A Delta tem orgulho de ser um membro fundador da ACAF, pois trabalhamos para promover os benefícios claros da utilização do SAF não apenas para nosso setor e nossos negócios, mas para demonstrar os efeitos promissores que ele terá sobre as comunidades rurais e em nossa segurança energética doméstica”, disse Wilson.

As equipes globais de Sustentabilidade e Combustível da Delta têm trabalhado ao longo dos últimos anos para catalisar o investimento e estimular a produção de SAF ao assinar o que é conhecido como acordos de compra com vários produtores desse tipo de combustível. Esses acordos garantem que a Delta adquirirá SAF do produtor quando ele o tiver, o que está sujeito a certas condições. Até o momento, a Delta assinou acordos de compra para mais de 200 milhões de galões de SAF, o que representa mais da metade da meta em direção ao nosso objetivo de usar 10% de SAF para voar até o final de 2030**. A meta de longo prazo da Delta é chegar à neutralidade de carbono até 2050.

*Nota do Editor.

**Sujeito à financiamento de terceiros e ao desenvolvimento de instalações em tempo hábil.
Related Topics:
Share